Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

desestatização

BNDES define consórcio para iniciar
processo de venda da MSGás

Estudos de privatização da estatal de MS vão custar R$ 13,2 milhões

13 OUT 2017Por ROSANA SIQUEIRA19h:48

Consórcio liderado pelo Banco Fator foi selecionado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para assessorar o processo de desestatização da distribuidora de gás do Mato Grosso do Sul, a MSGás.

O valor a ser pago pelo BNDES será de R$ 13,2 milhões para estudos de privatização da companhia distribuidora de gás do Estado. As informações são do Estadão.

O contrato com o grupo, que também conta com LMDM Consultoria, Vernalha Guimarães & Pereira Advogados e Souza, Cescon, Barrieu & Flesch Advogados, está em fase final de homologação.

O Fator já atua no processo de privatização da companhia de saneamento do Rio, a Cedae.

Em consórcio com a Concremat Engenharia e Tecnologia e o Vernalha Guimarães & Pereira Advogados Associados, o banco também foi contratado pelo BNDES para preparar a modelagem de venda da estatal carioca.

Além disso, é responsável pela modelagem da privatização da geradora de energia estatal paulista Cesp. Procurado, o BNDES confirmou a informação. 

Os estudos e estruturação da privatização foram divididos em duas partes:  “Serviço A”, relativo à avaliação econômico-financeira; e “Serviço B”, que envolve o estudo de alternativas para evolução no modelo regulatório do setor, a modelagem do processo de desestatização, uma completa due dilligence da companhia, assessoria jurídica e de comunicação além do escopo previsto no “Serviço A” e outros serviços profissionais especializados.

Ao lado de Pernambuco, Mato Grosso do Sul fez parte do primeiro lote de licitação do BNDES para o processo de desestatização.

A MSGás tem concessão para executar serviços relativos à pesquisa tecnológica, exploração, produção, aquisição, armazenamento; produção e comercialização independente de energia elétrica; transporte, importação, exportação, fabricação e montagem de componentes necessários ao suprimento do mercado do gás; e ainda distribuição e comercialização de gás e/ou subprodutos e derivados em todo o Estado.

A empresa foi criada em 21 de maio de 1998 pela Lei Estadual 1.854/98, sendo que a sociedade de economia mista tem 51% de ações do governo do Estado e 49% da Petrobrás Gás S.A (Gaspetro).

Leia Também