Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Poupança

Banco Central registra entrada líquida
de R$ 2,336 bilhões na poupança

Foi o terceiro mês consecutivo de entrada líquida de recursos

4 AGO 17 - 17h:03Istoé

O volume de recursos que os investidores depositaram na poupança em julho, já descontados os saques, somou R$ 2,336 bilhões, informou nesta sexta-feira, 4, o Banco Central. Foi o terceiro mês consecutivo de entrada líquida de recursos na caderneta e o melhor resultado para julho desde 2014, quando houve captação de R$ 4,029 bilhões.

Em julho do ano passado, houve saques líquidos de R$ 1,115 bilhão e, em junho de 2017, aportes de R$ 6,090 bilhões.

Os últimos dias úteis do mês, quando geralmente o volume de depósitos sobe em função do pagamento de salários, foram os destaques. Juntos, os dias 27, 28 e 31 somaram R$ 2,512 bilhões em depósitos na poupança, já descontados os saques.

Em 2015 e 2016, a crise econômica acirrou os saques, com as famílias mais retirando do que colocando recursos na poupança para fazer frente às despesas. Em 2017, o fenômeno voltou a ocorrer, com retiradas líquidas em janeiro, fevereiro, março e abril. Em maio, junho e julho, porém, houve captação líquida. Nestes três meses, os trabalhadores puderam retirar recursos de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), o que contribuiu para elevar os depósitos na poupança.

De acordo com o BC, o total de aplicações na poupança em julho foi de R$ 174,720 bilhões, enquanto os saques somaram R$ 172,385 bilhões. O estoque do investimento na poupança está em R$ 681,210 bilhões, já considerando os rendimentos de R$ 3,526 bilhões de julho.

No acumulado de 2017 até julho, a poupança registra saques líquidos de R$ 9,955 bilhões, resultado de aportes de R$ 1,175 trilhão e retiradas de R$ 1,185 trilhão. Em todo o ano passado, em meio à crise, R$ 40,702 bilhões líquidos saíram da poupança.

Além da influência da crise econômica, a poupança vinha perdendo espaço para outros investimentos, considerados mais atrativos. A remuneração da poupança é formada por uma taxa fixa de 0,5% ao mês mais a Taxa Referencial (TR) – esse cálculo vale para quando a Selic (a taxa básica de juros) está acima de 8,5% ao ano. Atualmente, ela está em 9,25% ao ano.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Ministra quer menos protecionismo para fortalecer agricultura mundial
ECONOMIA

Ministra quer menos protecionismo para fortalecer agricultura

MERCADO FINANCEIRO

Dólar fecha praticamente estável na expectativa por agenda carregada da semana

PIB

Governo deve reduzir previsão de crescimento da economia em 2019

Rombo da previdência estadual aumentará 50% no próximo ano
PROJEÇÃO GOVERNO

Rombo da previdência estadual aumentará 50%

Mais Lidas