Domingo, 17 de Dezembro de 2017

BIOCOMBUSTÍVEL

Preço do etanol faz combustível
cair em desuso nos postos

Em novembro, o valor do produto chegou a aumentar 10% em MS

5 DEZ 2017Por RODOLFO CÉSAR E ALINE OLIVEIRA18h:46

O Procon/MS fez levantamento de preço de combustíveis em Campo Grande e identificou que o valor cobrado pelo etanol entre outubro e novembro sofreu variação de 10%. Se comparado com a gasolina, o combustível teve alta que variou entre 1,18% e 3,13%. Com isso, a preferência do motorista permanece com a gasolina para abastecer o carro.

Em Campo Grande, o menor preço praticado na comercialização de etanol é R$ 2,950 por litro. A gasolina, atualmente, está custando, em média, R$ 3,90. O levantamento do Procon foi realizado somente em postos da Capital.

O valor do diesel também foi verificado e esse foi o único que apresentou redução. O Diesel S500 variou entre em 0,64% e -1,29%, ficando o menor preço em R$ 3,06 o litro. O diesel S10 variou entre 1,23% e -2,94%. Em 15 postos não houve variação no preço do diesel.

FALTA DE ETANOL

Levantamento divulgado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP, sinalizou que, no mês de novembro, 19,56% dos postos de combustíveis em operação no Brasil não tinham etanol hidratado para comercializar.

Os dados divulgados semanalmente mostram ainda que somente no Mato Grosso e São Paulo o combustível é competitivo com relação a gasolina.

Segundo especialistas, para que o etanol seja vantajoso é preciso que que ele esteja 70% mais barato que a gasolina, que rende mais em veículos em razão de sua característica calorífica. Entre os fatores que levam o produto a ficar acima dessa porcentagem estão a produção pequena ou inexistente do biocombustível, a logística complexa para o transporte e a alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

A situação se agravou este ano. Usinas deram prioridade, na maior parte da safra, à produção do açúcar em detrimento do etanol, porque os preços do alimento estavam mais remuneradores do que os do etanol. A situação se inverteu no final da colheira, mas o movimento não foi suficiente para baratear o produto.

Leia Também