Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Controladoria

Auditoria vasculha irregularidade
em mais de R$ 5 bi em notas

Entre semana passada e hoje há seis procedimentos instaurados

29 MAI 17 - 18h:12RODOLFO CÉSAR

A Controladoria-Geral do Estado confirmou hoje que está com seis auditorias abertas para apurar possíveis irregularidades em termos de benefício fiscal concedidos a empresas. O mais recente foi aberto hoje, depois de denúncia que envolveria sonegação fiscal e possível pagamento de propina dentro do governo estadual.

Somente na auditoria que envolve a Braz Peli Comércio de Couros, que foi instaurada hoje, há mais de R$ 5 bilhões em notas emitidas que podem ter sonegação fiscal envolvida.

O secretário de Estado de Governo e de Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, confirmou a auditoria durante coletiva concedida hoje à tarde na governadoria.

Na semana passada, o órgão instaurou auditoria para verificar cinco termos que estão relacionados ao frigorífico JBS. A medida foi tomada depois que delação premiada dos irmão Joesley e Wesley Batista mencionaram possíveis pagamentos de propina em Mato Grosso do Sul para que houvesse benefício fiscal.

Hoje, o procedimento instaurado refere-se ao curtume Braz Peli Comércio de Couros, que fica em Campo Grande. Entre setembro e outubro do ano passado foi identificado comportamento fiscal irregular com relação a volume comercializado e a Secretaria de Fazenda determinou suspensão do regime de tributação que era aplicado a ela. Empresários ligados a esse grupo também relataram possível pagamento de propina para garantir isenções.

A Braz Peli tem operações envolvendo também os estados de São Paulo e Rio Grande do Norte. 

"Dos seis ofícios que nós expedimos para os estados, dois já foram retornados com informações de fraude em relação a fornecimento dessa empresa, Braz Peli. Houve uma determinação do governador Reinaldo Azambuja, ontem à noite (28), para se buscar esclarecimento desses fatos", disse Eduardo Riedel.

O total de notas emitidas pela Braz Peli a serem averiguadas ultrapassa os R$ 5 bilhões e até agora foram analisados R$ 4,634 milhões.

Já há disputa judicial em torno da autorização de uso do benefício fiscal envolvendo a empresa e o governo estadual. Liminar do Tribunal de Justiça, por enquanto, garante isenções. "Nossa procuradoria entrou na Justiça buscando valer o entendimento do Estado de Mato Grosso do Sul para recolhimento desses tributos", informou o secretário de Governo.

Conforme divulgação feita hoje, no segundo trimestre deste ano, a Braz Peli movimentou R$ 215 milhões e não recolheu Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) por conta de liminar judicial.

Foi enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF) recurso para tentar barrar benefícios que hoje a empresa possui. Registro na Polícia Civil também foi feito por parte do governo do Estado.

A reportagem tentou contato com a Braz Peli por meio de dois números de telefone, mas até a publicação desta matéria ninguém atendeu.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Etanol só deve ficar mais barato nas bombas ano que vem
REDUÇÃO ICMS

Etanol só fica mais barato nas bombas ano que vem

Estado deve perder 8% da área de algodão para o milho safrinha e soja
Menos 3 mil hectares

Estado deve perder 8% da área de algodão para o milho e soja

Chuva traz alívio e produtores retomam plantio da soja
LAVOURAS

Chuva traz alívio e produtores retomam plantio da soja

Caos na Bolívia trava importação de matéria-prima de fertilizantes
UREIA

Caos na Bolívia trava chegada da matéria-prima de fertilizantes

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião