Segunda, 21 de Maio de 2018

LOCAÇÃO

Após queda de 20% no
valor de aluguéis, setor prevê reação

Empresários e corretores apostam em 'injeção de ânimo'

15 FEV 2018Por DA REDAÇÃO05h:00

Após dois anos de oscilações nos contratos de locação e queda de 20%, em média, nos valores dos aluguéis em função da crise, a melhora dos indicadores econômicos em 2018 traz expectativa de retomada ao mercado imobiliário de Campo Grande.

Para empresários e corretores ouvidos pelo Correio do Estado, a “injeção de ânimo” no mercado ainda deve vir das locações residenciais, que contribuíram para sustentar os resultados de 2017 na Capital. Entre os imóveis comerciais, o aumento da procura é esperado somente a partir de 2019, com o reaquecimento da economia. 

“Para o mercado de locação, não vamos ter grandes alterações. Sempre trabalhamos em função de preço, e quem faz preço é o próprio mercado. O comercial é que tem uma dificuldade a mais, em função da expectativa do próprio comércio e da migração de comerciantes do centro para os bairros”, afirmou Ilton Arashiro, proprietário da Imobiliária Casa X.

Na região central, avalia o empresário, os aluguéis estão em patamares que as pessoas não conseguem pagar. “Fazendo as contas, o proprietário que precisa pagar baixa o preço. Mas há muitos salões fechados em ruas como a 14 de Julho, 13 de Maio e Rui Barbosa, por exemplo, que estão há dois, três anos fechados”, comentou. 

*Leia reportagem, de Daniella Arruda, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Leia Também