Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

REABERTURA

Após decreto presidencial, prefeito libera reabertura de restaurantes e lotéricas

Marcos Trad disse ser contra medida, mas vai limitar funcionamento dos estabelecimentos
26/03/2020 17:26 - Adriel Mattos, Súzan Benites


 

Uma semana depois de decretar situação de emergência em decorrência da pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, e colocar o município em quarentena, o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), liberou com restrições a reabertura de estabelecimentos comerciais. O anúncio foi feito na tarde desta quinta-feira (26) durante vídeo transmitido ao vivo pela rede social Facebook.

O gestor do município disse que restaurantes e casas lotéricas podem abrir a partir desta sexta-feira (26), mas devem respeitar rigidamente as regras para funcionamento. “Não vão abrir sem regras. O primeiro valor é a vida, depois a economia. Dá para conciliar os dois”, disse Trad.

O prefeito ainda reforçou que a atitude veio após pressão.  “Não sou a favor de abrir nada disso, mas como o presidente mandou, eu estou disciplinando”, afirmou Trad, em referência ao presidente da República, Jair Bolsonaro, que autorizou a reabertura desses estabelecimentos.

Entre as condições impostas, os restaurantes podem abrir com limite de 30% de lotação, a higienização será obrigatória na abertura e fechamento do estabelecimento, a máquina de cartão também deve ser higienizada e  a distância entre as mesas deve ser de 2 metros. Além disso os funcionários devem usar os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), sendo máscara e luvas itens obrigatórios, além de medir a temperatura dos clientes, já que quem estiver com febre não poderá entrar. “Fiscalizações surpresa vão ocorrer”, frisou o prefeito da Capital.

As lotéricas vão funcionar também com regras rígidas, com o horário de funcionamento limitado das 9h às 17h. Os locais deve ser higienizados e os clientes deverão manter distância de 1,5 m com demarcação no piso. Trad ainda reforçou a necessidade de ter álcool em gel, que se não estiver disponível, não autoriza a reabertura. “Vamos fiscalizar e se não tiver, vamos cassar o alvará”, afirmou.

Quanto às indústrias, que devem abrir na segunda-feira (30), trabalhadores devem manter uma distância de 1,5m, com a disponibilidade de lavatórios para lavagem periódica das mãos. Equipamentos e espaços de trabalho também devem ser higienizados.  

As obras na construção civil têm as mesmas regras aplicadas às indústrias, ficando limitada a circulação de apenas 20 trabalhadores.

Por fim, igrejas ficam limitadas a realizar apenas duas reuniões ao dia, entre 6h e 19h30, respeitando o limite máximo de lotação de uma pessoa a cada 10m2. Fiéis devem permanecer distante 1,5m um do outro, além de higienizar as mãos periodicamente. Também fica proibida entrada de pessoas que apresentarem febre.

O comércio segue fechado e o transporte coletivo continua suspenso. “Nada decidido ainda”, destacou o prefeito, que afirmou que vai se reunir com representantes dessas categorias para decidir.  

O Aeroporto Internacional terá uma barreira sanitária, submetendo passageiros a exames. Outros detalhes dessa decisão estarão em decreto que deve ser publicado amanhã no Diário Oficial de Campo Grande (Diogrande).

EXPECTATIVA

Mais cedo, o titular da Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica de Mato Grosso do Sul (Segov), Eduardo Riedel, antecipou em entrevista ao SBT MS que Trad liberaria obras na Capital. “Isso também retoma em parte a movimentação econômica. A gente tem que respeitar todas as medidas técnicas para resguardar a nossa população da pandemia, é um fato que não vamos abrir mão. Mas o olho na economia e o plano de investimento continua”, declarou o secretário.

Após essa entrevista, a Associação dos Construtores de Mato Grosso do Sul (Acomasul) divulgou nota informando que aguardava “com ansiedade o decreto que possibilita a retomada das pequenas obras”.

“Nós entendemos a necessidade de isolamento conforme preconizam as autoridades em saúde em relação à Covid-19. Porém, também temos a convicção de que o prefeito está agindo de maneira ponderada - como grande administrador que é - ao liberar os canteiros de obras porque o setor não pode ficar parado por muitos dias”, avalia o presidente da Acomasul, Adão Castilho.

HISTÓRICO

Na última quarta-feira (18), Trad decretou situação de emergência, determinou a suspensão do atendimento ao público nas repartições públicas, fechou parques e praças e recomendou que estabelecimentos comerciantes - exceto serviços essenciais, como supermercados e farmácias - fechassem as portas por 15 dias.

Já no sábado (21), decretou toque de recolher, proibindo a circulação de pessoas entre 22h e 5h, exceto aquelas que pretendem acessar ou trabalham em serviços essenciais, como saúde e segurança pública. A partir de hoje, a restrição foi ampliada, indo das 20h às 5h.

 

Felpuda


Dois pedidos de desculpas, de autorias diferentes, foram assuntos muito comentados nas redes sociais com críticas ácidas às suas declarações, até porque os envolvidos não só os usaram despropositadamente, como tiveram de voltar a eles para se redimirem. Um deles, inclusive, quase criou uma crise política da-que-las, o que obrigou seu pai, figurinha carimbada, a pular miúdo para colocar panos quentes sobre a questão. Essa gente!...