Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ESTATAL

Agência também tira selo de bom pagador da Petrobras

A informação foi divulgada no site da agência na tarde desta quarta-feira (10)

10 SET 15 - 20h:00FOLHAPRESS

Na esteira do rebaixamento brasileiro, a Petrobras também perdeu o selo de bom pagador conferido pela agência de classificação de risco Standard & Poor's. A informação foi divulgada no site da agência na tarde desta quarta-feira (10).

A avaliação da dívida da Petrobras, seja em moeda estrangeira ou nacional, caiu de BBB- para BB, com perspectiva negativa. A agência ainda não divulgou nota explicando as razões do rebaixamento.

É normal, porém, que os ratings corporativos acompanhem a mudança de perspectiva com relação à dívida soberana. Além da Petrobras, outras empresas tiveram a nota de crédito rebaixadas na tarde desta quarta.

Com a decisão da Standard & Poor's, a Petrobras mantém o grau de investimento com apenas uma das três maiores agências globais. Para a Fitch, a dívida da estatal ainda é classificada como BBB-.

"A Petrobras já era concorrente a perder o grau de investimento, por ter ultrapassado seus limites de endividamento, mas as agências preferiram esperar. A situação da companhia, que já era ruim, vai ficar pior", diz o analista independente Flávio Conde, do site Whatscall.

Ele lembra que a companhia já vem pagando, em suas captações este ano, taxas mais altas por conta das dúvidas com relação à sua situação financeira e das incertezas do país. "Quando for ao mercado novamente, em janeiro, certamente pagará mais caro".

O rebaixamento da nota de crédito cria um obstáculo a mais para o processo de recuperação da Petrobras, que já enfrenta o cenário de baixos preços do petróleo e os impactos da alta do dólar em seu elevado endividamento.

"A companhia deve enfrentar desafios para financiar seus investimentos, dado o volume de dívida necessária para os próximos anos", escreveram os analistas Luiz Carvalho e Filipe Gouveia, do HSBC, em relatório distribuído aos clientes esta manhã.

A Petrobras tem hoje uma dívida de cerca de US$ 140 bilhões que vem sendo pressionada pela desvalorização do real frente ao dólar. Do total de seus empréstimos, 73% estão atrelados à moeda norte-americana.

"Possíveis efeitos nas taxas de juros também podem ser negativos, especialmente para empresas altamente endividadas, como Petrobras e Braskem", comentam os analistas Frank McGann e Vicente Falanga Neto, do Bank of America Merril Lynch.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Prefeitura prorroga Refis e quer arrecadar mais R$ 7 milhões
NOVA OPORTUNIDADE

Prefeitura prorroga Refis
e quer arrecadar mais R$ 7 milhões

Nova decisão confirma Paper Excellence como majoritária da Eldorado Celulose
DECISÃO PROVISÓRIA

Nova decisão confirma Paper Excellence como majoritária da Eldorado Celulose

Queda no preço da arroba do boi não chega aos açougues
CARNE

Queda no preço da arroba do boi não chega aos açougues

RECEITA FEDERAL

Cerca de 700 mil contribuintes caíram na malha fina em 2019

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião