Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ESTATAL

Agência também tira selo de bom pagador da Petrobras

A informação foi divulgada no site da agência na tarde desta quarta-feira (10)

10 SET 15 - 20h:00FOLHAPRESS

Na esteira do rebaixamento brasileiro, a Petrobras também perdeu o selo de bom pagador conferido pela agência de classificação de risco Standard & Poor's. A informação foi divulgada no site da agência na tarde desta quarta-feira (10).

A avaliação da dívida da Petrobras, seja em moeda estrangeira ou nacional, caiu de BBB- para BB, com perspectiva negativa. A agência ainda não divulgou nota explicando as razões do rebaixamento.

É normal, porém, que os ratings corporativos acompanhem a mudança de perspectiva com relação à dívida soberana. Além da Petrobras, outras empresas tiveram a nota de crédito rebaixadas na tarde desta quarta.

Com a decisão da Standard & Poor's, a Petrobras mantém o grau de investimento com apenas uma das três maiores agências globais. Para a Fitch, a dívida da estatal ainda é classificada como BBB-.

"A Petrobras já era concorrente a perder o grau de investimento, por ter ultrapassado seus limites de endividamento, mas as agências preferiram esperar. A situação da companhia, que já era ruim, vai ficar pior", diz o analista independente Flávio Conde, do site Whatscall.

Ele lembra que a companhia já vem pagando, em suas captações este ano, taxas mais altas por conta das dúvidas com relação à sua situação financeira e das incertezas do país. "Quando for ao mercado novamente, em janeiro, certamente pagará mais caro".

O rebaixamento da nota de crédito cria um obstáculo a mais para o processo de recuperação da Petrobras, que já enfrenta o cenário de baixos preços do petróleo e os impactos da alta do dólar em seu elevado endividamento.

"A companhia deve enfrentar desafios para financiar seus investimentos, dado o volume de dívida necessária para os próximos anos", escreveram os analistas Luiz Carvalho e Filipe Gouveia, do HSBC, em relatório distribuído aos clientes esta manhã.

A Petrobras tem hoje uma dívida de cerca de US$ 140 bilhões que vem sendo pressionada pela desvalorização do real frente ao dólar. Do total de seus empréstimos, 73% estão atrelados à moeda norte-americana.

"Possíveis efeitos nas taxas de juros também podem ser negativos, especialmente para empresas altamente endividadas, como Petrobras e Braskem", comentam os analistas Frank McGann e Vicente Falanga Neto, do Bank of America Merril Lynch.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

EQUILÍBRIO FINANCEIRO

BC leiloará US$ 3,75 bilhões das reservas para conter alta do dólar

Ministros garantem continuidade do Minha Casa, Minha Vida
CONSTRUÇÃO CIVIL

Minha Casa, Minha vida terá continuidade, diz ministro

Indústria de tranformação impacta<br> na redução do PIB
ÍNDICES ECONÔMICOS

Indústria de tranformação impacta na redução do PIB

Ação realizada hoje (18) cadastra famílias com direito a tarifa social
CORUMBÁ

Ação realizada cadastro de famílias em tarifa social

Mais Lidas