Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

BRASIL/BOLÍVIA

Acordo para fornecimento de gás boliviano em MS deve ser definido dia 12

Informação foi divulgada em agenda realizada nesta terça-feira (4)

4 DEZ 18 - 17h:45ALINE OLIVEIRA

Durante agenda realizada nesta terça-feira (4), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) reuniu-se com o ministro de Hidrocarburos, Luiz Alberto Sánchez, para definir alguns pontos do acordo de importação para fornecimento de gás natural boliviano para Mato Grosso do Sul. 

Ao final da reunião, o ministro sinalizou positivamente para a conclusão do acordo comercial. Diante disso, pode ser definida na próxima semana, em Santa Cruz de La Sierra,  nos dias 12 e 13 de dezembro, para definição do contrato de fornecimento. 

O governo de Mato Grosso do Sul busca há dois anos, uma saída para garantir a manutenção de um volume de importação, que minimize os impactos com a queda do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). 

 Azambuja defende a importação conjunta do gás por distribuidoras regionais, dentre elas a MSGÁS, e tem cobrado do país vizinho a garantia de fornecimento do combustível para a termoelétrica de Ladário, em fase de instalação.

Reinaldo Azambuja destacou ainda a garantia do governo brasileiro de executar projetos estratégicos para a região de fronteira e na integração comercial latino-americana, citando a reconstrução da ferrovia que ligará Santos (SP) a Ilo, no Peru, passando pelo estado de Mato Grosso do Sul e a Bolívia. 

“São investimentos que ampliam as possibilidades comerciais e projetam novos empreendimentos e uma demanda crescente do consumo de gás natural”, pontuou.

PRÓXIMA REUNIÃO

Após as ponderações do governador, pedindo à Bolívia uma definição em relação aos pleitos do Estado, o ministro boliviano afirmou que seu país tem interesse na comercialização do gás extracontrato da Petrobras e hoje tem produção suficiente para garantir esse fornecimento. Luiz Sánchez apenas solicitou que o Estado apresentasse uma projeção de demanda e sinalizou que a Bolívia quer formalizar o acordo ainda neste ano.

Presente à reunião, o diretor-presidente da MSGÁS, Rudel Trindade, adiantou que a companhia tem um levantamento da demanda, com base no consumo das termoelétricas de Ladário e Três Lagoas e de outros empreendimentos, estimado em cinco milhões de m³/dia. 

Somente a termoelétrica de Ladário tem previsão de consumo imediato de 1,3 milhão de m³/dia, com perspectiva de comprar 2,5 milhões de m³/dia em cinco anos para produzir 620 MW.

“O ministro Luiz Sánchez disse ao governador, inclusive, que se quisermos sair do contrato com a Petrobras, podemos fazer um acordo individual”, disse Rudel Trindade. “Isso é uma possibilidade, mas o importante é que a Bolívia nos disse com clareza seu interesse na venda desse gás, com o ministro pedindo que tudo aconteça ainda esse ano”, completou. O dirigente da MSGÁS informou que hoje a companhia compra 700 mil m³/dia de gás boliviano.

*Com informações da Assessoria de Comunicação

 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Litro da gasolina atinge maior preço dos últimos dois meses
CAMPO GRANDE

Litro da gasolina atinge maior preço dos últimos dois meses

ECONOMIA

BNDES apresenta nova linha de crédito para micro e pequena empresas

BRASIL

Mourão defende reforma da Previdência para recuperar confiança no país

Frigorífico oferece 30 vagas <br>de emprego em diversas áreas
OPORTUNIDADE

Frigorífico oferece 30 vagas de emprego na Capital

Mais Lidas