Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORREIO VEÍCULOS

Salão do Automóvel de Buenos Aires mostra novidades para brasileiros

Salão do Automóvel de Buenos Aires mostra novidades para brasileiros
09/06/2017 19:16 - LEANDRO GAMEIRO


 

Um dos eventos mais esperados do ano em todo mundo para os amantes de automotores chama-se Salão do Automóvel. É nele que as montadoras podem mostrar suas novidades e as tendências do mercado.

O Correio Veículos veio para a Argentina para apresentar esse mundo a partir do 8º Salão Internacional do Automóvel de Buenos Aires, que será aberto ao público a partir deste sábado (10) até dia 20 de junho.

Nesse evento, são mais de 20 marcas presentes, algumas com grandes novidades, outras nem tanto. Começando pela Chevrolet, que apresentou seu SUV Equinox. Ele será vendido no Brasil nesse segundo semestre.

A Ford, por sua vez, apresentou o novo Ecosport. A Renault mostrou o “popular” que vai mexer com o mercado brasileiro, o Kwid. O preço dele parte de R$29.990 e como itens já vem com airbags frontais e laterais. Sua versão topo sai a R$39.990, e incluí kit multimídia.

A Volks anunciou a Amarok V6 para o mercado brasileiro, enquanto a Nissan e a Fiat abriram as portas para exportar o Kicks e o Argo para a Argentina e Chile.

A Honda inicia as vendas da 3ª geração do Fit e também divulgou dois modelos que já são vendidos em outros países, mas sem previsão para o Brasil. São o Civic Type R e o Super Esportivo NSX.

No estande da francesa Peugeot, conferimos o 3008, que será lançado no Brasil esse mês, e estaremos presente para testá-lo.

A Mercedes-Benz apresentou alguns modelos exclusivos como a picape de luxo classe X, que ainda é carro conceito.

Citröen, Audi, Jeep, Chrysler e Dodge não apresentaram novidades. A Ram mostrou a 1500 V8 à gasolina para os “hermanos”. Outras marcas que marcam presença no evento são: Ferrari, Maserati e Lotus com seus bólidos.

Leia mais sobre essa reportagem e outras no suplemento Correio Veículos, no jornal Correio do Estado.

Felpuda


Apesar de ainda fazer certo charme no estilo “se chamar, vou pensar” é praticamente certo que ex-candidato ao governo do Estado nas eleições passadas não participará da disputa pela Prefeitura de Campo Grande. Nos meios políticos é falado que não se trata de “novidade” e que não haverá mais cavalo encilhado passando na sua frente. Ele ainda insinua que poderá voltar em 2022, mas há quem diga que não precisará pensar, pois faltará a tal da “chamada”.