Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORREIO VEÍCULOS

Ranger 2020: pequenas mudanças <br>que fazem grandes diferenças

Mais tecnologia, segurança e conforto, com o mesmo preço <br>de 2019
28/06/2019 09:00 - LEANDRO GAMEIRO


Desde o seu lançamento no Brasil, em 1996, a Ranger é uma picape muito cobiçada. A Ford acumula 1 milhão de picapes vendidas no mundo, e 30% se refere à Ranger na América do Sul. Isso, sem contar que há 42 anos a Ford é líder mundial no segmento de picapes. 

E o que mudou na nova Ranger? Está mais conectada, segura e eficiente. Em detalhes, faróis baixo de xênon, o que eleva em 25% a iluminação do veículo, luz diurna em LED, nova grade e para-choque frontais, além dos novos faróis de neblina e radar de distância para o piloto automático e frenagem de emergência, que agora reconhece pedestres e, em caso de distração, o carro para totalmente sem auxílio do motorista, além de identificar as placas de trânsito, nova antena e receptor de GPS. 

Internamente, o painel passou por alterações, deixando-o mais sofisticado e elegante. A grande novidade? Agora não haverá mais versão flex, mas somente 2.2 e 3.2 turbo diesel, nas versões XL, XLS, XLT e Limited. O preço inicial da Ranger XLS cabine dupla, com câmbio automático é de R$128.250 e pode passar os R$188 mil na versão topo, chamada de Limited. 

Por ter condições especiais, o valor da XL, que é o modelo de entrada, não foi revelado. Segundo Antônio Baltar Júnior, diretor de marketing da América do Sul, “O mercado de picapes não é brincadeira. Não existem meninos, pois a coisa é séria”. 

IMPRESSÕES AO DIRIGIR 
O fato de termos ido para Mendoza,  na Argentina, para conhecer o produto já é bastante gratificante, pois nada melhor do que dirigir por belíssimas paisagens. Rodamos cerca de 130 quilômetros, com a versão 3.2 turbo diesel, entre asfalto e estradas de terra, e as mudanças na suspensão e calibragem dos pneus foram notadas logo no início do teste. A Ranger está mais macia, mas não se compara aos sedãs e SUVs, até porque ela pode carregar até 1 tonelada na caçamba. Na última parada, tinha uma pista off road, onde pudemos testar a tração, bloqueio de diferencial traseiro e assistente de descida. Vocês devem estar perguntando: mas com os pneus mais vazios, ela deve ter ficado mais “beberrona”? Resposta: Não. A média geral ficou na casa dos 9 km/l entre todos os percursos, e levando em consideração que passamos por perímetros urbanos e circuito off road, o consumo final é considerado bom. Ao andar no banco traseiro, faz falta a entrada USB e saída de ar condicionado, mesmo com a temperatura marcando 5 graus, fez falta. Mas para quem vai nos bancos dianteiros, têm duas tomadas USB, e mais duas 12 volts, além do ar duas zonas. A Ranger é a única picape que oferece 5 anos de garantia, mas apesar de todos os seus atributos e entregar mais que as concorrentes, ela ocupa o 4º lugar entre as picapes no ranking de vendas. 
Não deixe de nos acompanhar nas redes sociais como, @correioestado e @correioveiculos.

 

Ficha Técnica
Ford Ranger Limited 3.2 Turbo 4x4 AT CD

Dimensões: 5.35 cm de comprimento x 1.86 cm largura x 1.85 cm altura
Motor: Dianteiro, longitudinal, 5 cilindos em linha, 20V, diesel, comando de válvulas duplo.
Câmbio: Automático de 6 marchas; tração 4x4 temporária
Potência: 200 cv a 3.000 rpm
Torque: 47.9 kgfm a 1.750 rpm
Velocidade máxima: 180 km/h
Suspensão: Dianteira independente com braços sobrepostos e molas helicoidais. Traseira com eixo rígido e feixe de mola semielípticas.
Rodas e pneus: 265/60 R18
Freios: Discos ventilados na frente e tambores atrás. Freios ABS.
Peso: 2.261 kg
Capacidade de carga: 1.180 litros
Tanque de combustível: 80 litros

Felpuda


As conversas vêm acontecendo muito, mas muito reservadamente mesmo, e dão conta de que suplente poderá receber convocação, assumir a titularidade do cargo e por lá ficar por tempo indeterminado. Como é óbvio, tem gente jurando que nunca ouviu nem sequer falar sobre o assunto. O motivo não seria nada ligado a possíveis atos de irregularidades, mas sim por problemas de ordem pessoal.