Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CORREIO VEÍCULOS

MotoMais

Coluna semanal sobre motos

15 MAI 19 - 17h:00EDMUNDO DANTAS/Agência AutoMotrix

Líderes permanecem líderes
Em abril, foram emplacadas no Brasil 93.387 motocicletas, um crescimento de 11,4% sobre as 83.827 vendidas em março. O acumulado do primeiro quadrimestre está em 352.112 unidades, uma evolução de 16,77% em relação às 301.536 vendas realizadas de janeiro a abril de 2018. A liderança do mercado continua com a Honda, com impressionantes 78,98% de “market share”, seguida de longe pela Yamaha, com 13,73%. Entre os modelos mais emplacados, a Honda CG 160 é a primeira motocicleta a ultrapassar as 100 mil unidades vendidas no Brasil em 2019 – foram 100.486 emplacadas de janeiro a abril. Em segundo lugar está outra Honda, a scooter Biz, com 52.419 emplacamentos no quadrimestre.

Bobber esperta
As motos clássicas não param de ganhar mercado no Brasil, e a Triumph é das que melhor anda aproveitando o embalo desse segmento. Acaba de lançar a Bobber Black, uma versão especial da Bonneville Bobber apresentada em 2016 e que traz um visual mais agressivo. A moto ganhou roda menor na dianteira – aro 16 polegadas – com pneu mais largo, freio dianteiro com duplo disco e diversos itens e acabamentos pintados em preto. Com preço sugerido de R$ 49.990, a Bobber Black traz o guidão reto, assento único, tanque Bonneville esculpido para ela, rodas raiadas e motor totalmente exposto. O assento individual do piloto pode ser ajustado, mas sempre com a postura rebaixada. Entre os detalhes em tom “black” estão escapamento, pedal do freio, pedaleiras de descanso, conexão de transmissão niquelada, manetes dos freios e da embreagem, guidão, tubos de elevação e braçadeiras anodizadas, suporte do assento, tampas do motor e da roda dentada, aro do farol dianteiro revestido com cromo e cubos das rodas. Os freios têm dois discos duplos de 310 milímetros na frente, com duas pinças de dois pistões Brembo e uma configuração de disco traseiro único com pinça de pistão único. A suspensão também apresenta uma atualização da especificação Bobber. O motor é o mesmo da linha Bonneville, com dois cilindros e 1.200 cm³ de capacidade, que desenvolve 77 cavalos de potência (a 6.100 rpm) e 11 kgfm de torque (a 4 mil rpm) e  com uma afinação especial para entrega de torque e potência em baixas rotações.

Chinesa com grife italiana
A Vmoto, uma das grandes fabricantes mundiais no segmento de scooters elétricas, tendo uma presença enorme na China, anunciou oficialmente uma parceria com a Ducati. Enquanto não produz sua própria scooter elétrica, a Ducati preferiu criar antes uma edição especial de um produto já existente da marca chinesa. O scooter elétrico é o CUx Special Ducati Edition, que será produzido pela fabricante chinesa e receberá o 'selo de aprovação', o esquema de cores e a logomarca da fabricante de Borgo Panigale. A scooter chega equipada com um motor Bosch de 2,8kW capaz de alcançar uma velocidade máxima de 45 km/h – ideal para todas as deslocações urbanas na Europa, onde o limite de velocidade raramente ultrapassa os 50 km/h. Equipado com uma bateria de 60V com uma capacidade de 1,8 kWh e um motor de 2.700 watts, o CUx Special Edition Ducati tem autonomia de até 75 quilômetros e pode ser totalmente recarregado em três horas e meia no modo “fast charge”. De acordo com um executivo da Vmoto, a CUx Special Ducati Edition estará disponível no final de 2020.

Mini com duas rodas 
A fabricante inglesa de automóveis Mini acaba de apresentar o Scooter E Concept, a primeira moto-conceito já desenvolvida pela marca. As linhas são retrô, com óbvia identidade com os carros da Mini, mas o motor elétrico é bem moderno, integrado à roda traseira com baterias de íons de lítio compactas e recarregáveis em qualquer tomada doméstica. No design, destaque para o grande farol arredondado. As luzes indicadoras de direção remetem à dianteira do Mini clássico, enquanto a abertura da carenagem lembra os contornos da grade do radiador hexagonal dos carros da marca. Os retrovisores também têm formato arredondado e as lanternas verticais são montadas sobre a carenagem da roda. Segundo a Mini, ao encaixar um smartphone no painel, o motor é acionado automaticamente. Enquanto a motocicleta estiver em movimento, o smartphone pode ser usado como navegador GPS, tocador de música ou telefone. Uma interface pode ser conectada via Bluetooth a um capacete Mini, que vem equipado com microfone e fones de ouvido. O cabo de carregamento é integrado à parte traseira do scooter e, ao abrir a tampa do compartimento, ela se ilumina e o plugue pode ser puxado para fora até uma distância de cinco metros.

 
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Nova geração da Honda Gold Wing
CORREIO VEÍCULOS

Nova geração da Honda Gold Wing

Campo Grande receberá Audi Sport Experience
CORREIO VEÍCULOS

Campo Grande receberá Audi Sport Experience

MotoMais
CORREIO VEÍCULOS

MotoMais

Niki Lauda falece <br>aos 70 anos
AUTOMOBILISMO

Niki Lauda falece
aos 70 anos

Mais Lidas