Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORREIO VEÍCULOS

McLaren 720S e 600LT Spider

Os novos conversíveis superesportivos chegam ao Brasil para atender aos milionários locais
08/07/2019 09:56 - DANIEL DIAS/Agência AutoMotrix


A McLaren Automotive confirma a chegada ao Brasil de dois conversíveis destinados à gente com conta bancária recheada. O 720S Spider, com preço de R$ 3.450.000, e o 600LT Spider, a R$ 3.250.000, já estão em exposição na sede da McLaren São Paulo, no bairro Vila Olímpia. “Estamos extremamente orgulhosos em trazer nossos mais recentes modelos conversíveis para o Brasil. Eles foram lançados na Europa com grande aclamação da crítica no início deste ano e oferecem uma combinação única de experiência de condução sem limitações combinada com a emoção sob demanda de um carro conversível”, disse Brett Soso, diretor geral para o Oriente Médio, a África e a América Latina da McLaren Automotive. Ambos os modelos são montados artesanalmente no Centro de Produção McLaren em Woking, Surrey, na Inglaterra, na mesma área industrial da sede da equipe britânica da Fórmula-1.

O novo 720S Spider é o supercarro conversível mais completo da McLaren e sua proposta é combinar a emoção de dirigir ao ar livre com o desempenho dinâmico dos Super Series. Equipado com motor 4.0 V8 biturbo, produz 720 cavalos a 7.500 rotações por minuto e 78 kgfm de torque de 5.500 a 6.500 rpm, que levam o carro até os 100 km/h em 2,9 segundos, aos 200 km/h em 7,9 segundos e à velocidade de 341 km/h (325 km/h com o teto recolhido). O 720S Spider tem transmissão SSG de 7 velocidades e modos Comfort, Sport e Track, direção com assistência eletro-hidráulica e chassi Monocage II-S de fibra de carbono (mesmo material usado na construção dos carros da Fórmula-1) com estruturas de impacto dianteira e traseira em alumínio.

Os fundamentos do projeto do novo McLaren conversível são as formas contínuas e orgânicas introduzidas em 2017 com o 720S Coupé. Combinando para aumentar a pressão aerodinâmica, reduzir o arrasto, melhorar o arrefecimento do conjunto de potência e otimizar o desempenho aerodinâmico, essas formas produzem uma aparência geral semelhante a de uma escultura futurista, formada pelo ar que flui por cima, por baixo e ao redor do veículo. Um novo teto rígido retrátil (RHT, Retractable Hard Top) acionado eletricamente é integrado ao estilo, assim como as colunas laterais.

Uma tela central de oito polegadas de alta resolução continua a ser o ponto central das funções do veículo. A interface exibe áudio, mídia, navegação, controle de temperatura e outros recursos com todas as principais aplicações mostradas em um carrossel vertical, além de estar disponível por meio de teclas de acesso rápido localizado abaixo da tela. O sistema de climatização de ar-condicionado de dupla zona foi recalibrado para o 720S Spider e é capaz de detectar se a posição do RHT muda de levantada para recolhida. A temperatura e o fluxo de ar são ajustados automaticamente, aquecendo ou resfriando os ocupantes de acordo com as configurações do ambiente já selecionadas, aumentando o fluxo de ar para a cabine e movimentando mais ar para a área dos pés ou pontos superiores da cabine. O novo 720S Spider está disponível nas mesmas três especificações do Coupé, com acabamentos Performance, Luxury e o padrão. Duas novas cores exteriores – Belize Blue e Aztec Gold – foram introduzidas em uma paleta de 23 opções. Uma delas, a Supernova Silver, é uma cor patrimonial da McLaren, surgida no 12C, em 2011.

Já o 600LT Spider é o quinto modelo da McLaren Automotive a carregar a assinatura “Longtail”. O novo conversível incorpora a filosofia de maior potência, peso reduzido, aerodinâmica otimizada e dinâmica focada nas pistas. No coração do superesportivo está um 3.8 V8 biturbo de 620 cavalos e torque de 63 kgfm, associado ao câmbio de 7 marchas SSG com Ignition Cut (corte de ignição) no modo Sport para tornar as trocas mais rápidas e entregar um dramático efeito sonoro dos escapamentos, com saídas altas na traseira. Com tudo isso, o 600LT conversível acelera de zero a 100 km/h em 2,9 segundos e segue até os 200 km/h em 8,4 segundos, com velocidade final de 324 km/h com a capota erguida e de 315 km/h com o teto recolhido.

Abaixar a capota do 600LT Spider descortina um interior orientado para o desempenho, com acabamento de baixo peso em Alcântara e bancos de competição de fibra de carbono do McLaren P1 como equipamento padrão. Os assentos superleves projetados para o McLaren Senna são opcionais, por conta própria do dono ou dentro do pacote MSO Clubsport, da McLaren Special Operations. Outras opções e medidas para economia de peso – incluindo a retirada dos sistemas de controle de áudio e de climatização – ajudam a eliminar cada quilo possível, um importante ponto nesse tipo de veículo. As tecnologias que envolvem o teto retrátil e a aerodinâmica são as mesmas do 720S Spider.

             

 

Felpuda


As conversas vêm acontecendo muito, mas muito reservadamente mesmo, e dão conta de que suplente poderá receber convocação, assumir a titularidade do cargo e por lá ficar por tempo indeterminado. Como é óbvio, tem gente jurando que nunca ouviu nem sequer falar sobre o assunto. O motivo não seria nada ligado a possíveis atos de irregularidades, mas sim por problemas de ordem pessoal.