Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CORREIO VEÍCULOS

Kawasaki Versys 1000 chega renovada na versão 2020

30 JUN 19 - 07h:00SIDNEY LEVY do Motonline para Agência Automotrix

Quando foi lançada, em 2012, a Versys foi apresentada pela Kawasaki como uma bigtrail, algo que ela de fato não é. A moto reúne características de bigtrail com estradeiras e esportivas, mas prima pelo conforto para uso urbano ou em viagens. A Honda, por exemplo, considera este tipo de moto como crossover, a exemplo do que faz a indústria de carros. Outros consideram a Versys uma touring. Em sua versão 2020, a Kawasaki Versys 1000 recebeu uma importante mudança estética, que veio acompanhada de pequenos ajustes técnicos e de muitas novidades em termos de equipamentos e funcionalidades eletrônicas. Ela estará disponível na rede de concessionárias da marca a partir do dia 15 de julho em duas versões – Standard e Grand Tourer – com preços públicos sugeridos de R$ 55.490 e R$ 66.990, respectivamente, em cores únicas para cada configuração: laranja (Candy Steel Furnace Orange) para a standard e verde (Emerald Blazed Green) para a Grand Tourer.

Essa nova Versys 1000 chega no mesmo momento em que a Kawasaki ajusta seu posicionamento global para “Any Road, Any Time – Adventure Calling” (qualquer caminho, qualquer momento – o apelo da aventura, em uma tradução simples). Exceto pelo “Any road”, a Versys 1000 se enquadra muito bem nesse novo posicionamento da marca. Para qualquer caminho, ela precisaria no mínimo de pneus AT (All Terrain) e rodas maiores na dianteira. Fora isso, ela tem muitas virtudes para quem busca uma moto para viagens e até um pouco de uso urbano, seja individual ou com garupa. A começar pelo motor com sistema eletrônico para admitir o piloto automático e o acelerador eletrônico, além de uma central inercial (IMU), que monitora os parâmetros do propulsor e do chassi para auxiliar o motociclista na pilotagem e preservar a segurança. Na verdade, toda a eletrônica agora embarcada na moto veio para aprimorar os modos de pilotagem.

O chassi é construído em alumínio e as rodas aro 17 polegadas formam um conjunto esportivo com respostas rápidas. Com a adição na nova versão dos sistemas de suporte eletrônico, que inclui gerenciamento de curvas (KCMF – Kawasaki Cornering Management Function) e o controle de tração (KTRC – Kawasaki Traction Control), tudo integrado aos modos de pilotagem, ao ajuste eletrônico das suspensões e aos freios com ABS Kawasaki (KIBS – Kawasaki Intelligent anti-lock Brake System), a Versys 1000 entrega a possibilidade de uma pilotagem com absoluto controle e segurança.

Nos itens de conforto e estética, destaque para os novos para-brisa – são diferentes nas duas versões – com ajuste manual, mas que podem ser feitos com o piloto sentado na moto, ao contrário do anterior, no qual era necessário descer da moto para ajustar. Outra novidade exclusiva é a pintura regenerativa (apenas na versão Grand Tourer) usada no tanque, nas carenagens e nas tampas laterais, com camada especial para permitir que os arranhões se auto-reparem, mantendo aspecto de pintura sempre nova. Isso acontece porque a pintura é feita com segmentos macios e duros no revestimento, que trabalham juntos, como uma mola química, criando um efeito de “trampolim” para cobrir os riscos. No entanto, isso só vale para pequenos reparos e não se aplica a arranhões mais profundos.

Outra novidade é o aplicativo “Rideology”, para o piloto programar antes os parâmetros desejados para a moto no celular e simplesmente conectar seu smartphone via Bluetooth à motocicleta. Uma vez conectado, o aplicativo insere aquela programação feita para a moto, não havendo necessidade de se fazer isso manualmente. O aplicativo registra ainda vários dados da viagem, que podem depois serem verificados, como por exemplo, a velocidade em determinado trecho ou como foi o consumo de combustível, entre várias outras informações. A moto agora é full-led, e a versão Grand Tourer oferece vários equipamentos e funcionalidade adicionais, como o Quick-Shifter bidirecional – troca de marchas para cima e para baixo sem uso da embreagem –, o Painel TFT (Thin-Film Transistor) colorido, os faróis auxiliares que iluminam o lado de dentro da curva de acordo com a inclinação, o aquecedor de manoplas, os protetores de mãos, as malas laterais (28 litros) e o “top case” (47 litros).

O motor segue sendo o mesmo, com quatro cilindros, 1043 cm³ de capacidade, e desenvolve 120 cavalos de potência e 10,4 kgfm de torque. Essa configuração foi otimizada agora com o acelerador eletrônico, com a melhora sensível das respostas nas faixas de rotações baixas e médias, segundo comunicado da Kawasaki. Além dessa melhora, a alteração permitiu a adoção do cruise control (piloto automático – Electronic Cruise Control), equipamento muito útil para as motos estradeiras. Outra vantagem do acelerador eletrônico é a resposta mais suave em baixas rotações, condição muito sensível no uso urbano, no qual o cuidado com o acelerador é fundamental.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Novas bigtrails no mercado brasileiro
CORREIO VEÍCULOS

Novas bigtrails no mercado brasileiro

Troller T4 Trail
CORREIO VEÍCULOS

Troller T4 Trail

MotoMais
CORREIO VEÍCULOS

MotoMais

CarMais
CORREIO VEÍCULOS

CarMais

Mais Lidas