Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORREIO VEÍCULOS

Estrela anunciada: Mercedes GLE Coupé

Após estreia no Salão de Frankfurt, novo modelo da marca <br>chegará às ruas em 2020
10/09/2019 10:00 - António de Sousa Pereira, do Absolute Motors/Portugal


Será no Salão de Frankfurt, que abre as portas para o público em 12 de setembro, que o novo Mercedes GLE Coupé estreará oficialmente. O modelo terá duas versões a diesel e uma a gasolina, esta última desenvolvida pela Mercedes-AMG. Também está em desenvolvimento uma inédita variante híbrida plug-in. Alvo de uma substancial reformulação estética, o novo GLE Coupé é, segundo a Mercedes-Benz, 9% mais eficaz aerodinamicamente do que o seu predecessor, além de ter crescido 3,9 centímetros em comprimento (para 4,94 metros), 7 centímetros em largura (para 2,01 metros) e 2 centímetros na distância entre eixos, embora esta continue a ser 6 centímetros mais curta do que a do GLE “normal”. Ainda no plano estilístico, referência para a grade frontal com padrão diamantado, para as rodas de dimensões generosas (19”-22”) e para a iluminação exterior integralmente por leds.

Devido ao aumento das dimensões exteriores, o habitáculo promete ser mais amplo do que o do modelo da anterior geração e conta já com a mais recente geração do sistema de infoentretenimento MBUX, com duas telas de 12,3” e oferece, de série, revestimento em couro sintético tanto da seção superior do tablier, como dos bancos esportivos e nos painéis das portas - o volante esportivo é revestido de couro natural. O porta-malas, com 655 litros, é anunciado como o maior da categoria, em especial quando totalmente rebatido o banco traseiro tripartido na proporção 40/20/40, o que permite aumentar a capacidade até um máximo de 1790 litros.

Na fase de lançamento, o novo GLE Coupé terá duas variantes a diesel, ambas movidas por derivações do novo motor OM 656 da marca da estrela. O seis cilindros em linha turbodiesel oferece 272 cavalos e 61,2 kgfm na versão GLE Coupé 350 d 4Matic e 330 cavalos e 71,4 kgfm na configuração GLE Coupé 400 d 4Matic. Em qualquer dos casos, a transmissão está a cargo da caixa automática 9G Tronic, responsável, também, pelo controle da embreagem multidiscos central que assegura a repartição variável do torque entre os dois eixos por parte do sistema de tração integral 4Matic, igualmente de série em todas as versões.

Já a suspensão recebeu uma afinação mais firme e esportiva, por comparação com a do modelo da anterior geração, podendo, opcionalmente, dispor de amortecimento pneumático com controlo automático da altura ao solo. Também como opcional, a suspensão pneumática pode ser combinada com o sistema E-Active Body Control, baseado num sistema elétrico de 48 Volt, capaz de controlar individualmente por cada roda os respetivos movimentos de compressão e extensão.

Além das opções diesel, a gama inicial incluirá, ainda, a versão esportiva a gasolina GLE 53 4Matic+ Coupé, animada por um seis cilindros em linha biturbo (com um compressor volumétrico e um compressor elétrico) de 3,0 litros, 435 cavalos e 53 kgfm, dotado de um sistema EQ-Boost de sobrealimentação elétrica (alternador /motor de arranque integrado) com 22 cavalos e 25,5 kgfm, que assegura ao modelo algumas funções híbridas e fornece por breves períodos este rendimento adicional. O zero a 100 km/h é cumprido em 5,3 segundos e a velocidade máxima está eletronicamente limitada a 250 km/h. A caixa de nove velocidades AMG Speedshift TCT, o sistema de tração integral e a suspensão pneumática contam com afinação específica e o seletor de modos de condução AMG Dynamic Select oferece sete programas: Slippery, Comfort, Sport, Sport+, Individual, Trail e Sand (os dois últimos destinados ao fora e estrada).

 

*Matéria especial para a Agência AutoMotrix.

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.