Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

COLUNA CARMAIS

Coluna semanal com dicas
e novidades sobre automóveis

26 SET 19 - 15h:00DANIEL DIAS/Agência AutoMotrix

Intrépidos inglesinhos
O novo Mini Clubman poderá ser visto acelerando pelas ruas do país em breve. A Mini Brasil confirma a chegada do modelo ao mercado nacional para o último trimestre deste ano. Com um design renovado e moderno, mas mantendo o estilo retrô, aliado a equipamentos inovadores e tecnologia de conectividade, o novo Clubman se destaca como um veículo de estilo singular. Novos detalhes no exterior e interior, bem como os mais recentes dispositivos digitais, tornam o novo Clubman um modelo familiar sofisticado e único em sua categoria. A data de lançamento do mais novo integrante da gama de veículos da Mini disponível no país, o preço e as especificações técnicas serão divulgados em breve. Enquanto isso, o Cooper SE, o 100% elétrico da gama, encarou os desafios da Transfagarasan pelas montanhas dos Carpatos, na Romênia. Considerada difícil para veículos com motores convencionais, a estrada com subidas e descidas espetaculares e uma das mais belas paisagens naturais da Europa foi superada sema maiores dificuldades pelo novo “carrinho” elétrico.

Motorista à distância
A Ford fez a primeira demonstração de direção remota usando uma rede 5G na Ásia durante a Smart China Expo (SCE), feira internacional de tecnologia em Chongqing. O teste, feito em parceria com o Instituto de Pesquisa de Engenharia Automotiva da China, Datang e China Telecom, foi transmitido ao vivo durante o evento. O objetivo foi analisar o desempenho da tecnologia que terá um papel central para o futuro avanço da conectividade e da automatização, segurança e mobilidade no trânsito. O modelo usado na demonstração foi um Lincoln MKZ Hybrid, com plataforma de direção autônoma adaptada para recepção de sinais 5G. As equipes de pesquisa e desenvolvimento e de veículos autônomos da Ford na China fizeram um trabalho intenso para concluir a sua integração e calibração em um curto espaço de tempo. O veículo localizado em Xiantao Big Data Village foi controlado por meio dos sinais transmitidos da sala de operações da Smart Expo, a três quilômetros de distância, via comunicação 5G. O motorista usou os sinais de vídeo e áudio enviados pelo veículo para tomar decisões e comandar remotamente as suas funções de direção, aceleração e frenagem. Por segurança, um motorista viajou na cabine para assumir a direção em caso de necessidade.

Mundo que muda
Maior “heresia” que o surgimento do Cayenne em meio aos tradicionais esportivos da Porsche e seguindo os passos de Bentley, Lamborghini, Rolls-Royce e Aston Martin, a Ferrari está desenvolvendo seu primeiro SUV, que deve chegar ao mercado em 2022. A Casa de Maranello adiou o projeto em dois anos porque está buscando ter a maior potência da categoria em seu primeiro utilitário esportivo, marca mantida atualmente pelo Jeep Grand Cherokee Trackhawk, de 707 cavalos. O projeto ferrarista, mantido em total segredo, está sendo chamado de Purosangue. “Acho que encontramos um conceito e um pacote que são de um lado um SUV real e convenceremos os clientes a comprá-lo, mas, por outro lado, há uma enorme diferenciação de conceito em relação aos SUVs existentes”, diz Michael Leiters, diretor técnico da fabricante. No total, não menos que quinze novos modelos da Ferrari devem ser lançados até 2023, em duas categorias: supercarros com motor central e vários em estilo GT com motor dianteiro, incluindo o Purosangue. Ainda não se sabe se o SUV será equipado com motor V6, V8 e V12, híbrido ou outra coisa, embora uma opção totalmente elétrica pareça estar fora de questão.

Rumo ao México
Lançado em fevereiro deste ano, o T-Cross, começará a ser exportado neste mês para o México pela Volkswagen nas versões Trendline, Comfortline e Highline, com motor 1.6 MPI com câmbio automático ou manual. “O T-Cross é o primeiro SUV produzido pela Volkswagen no Brasil. Ele foi fabricado a partir de uma plataforma global com tecnologia de ponta e chegará ao México para fortalecer e ampliar ainda mais a presença da marca nesse mercado importante da América Latina. Até o fim do ano, nossa expectativa é de embarcar para o México cerca de 6 mil unidades do modelo, que já começaram a ser exportadas para os principais mercados latino-americanos e, em 2020, chegarão também à África, totalizando cinquenta países”, revela Pablo Di Si, Presidente e CEO da Volkswagen América Latina. Além do TCross, o México já importa outros modelos da marca fabricadas no Brasil, como a Saveiro e o Gol. Desde julho deste ano, passou a receber também o Virtus.

Ofertas de ocasião
Após uma bem-sucedida campanha de pré-venda, o novo BMW 320i faz sua estreia na rede de concessionárias autorizadas do Brasil em condições especiais de compra. Válida em todo território nacional, a ação oferece o 320i Sport 2019/2020, com pintura sólida, com desconto de R$ 8 mil para compra à vista – de R$ 195.950 por R$ 187.950. Além desses incentivos, disponibilizados por meio de uma parceria entre a BMW do Brasil e a BMW Serviços Financeiros, a nova campanha tem como destaque taxas de juros especiais – abaixo de 1% ao mês – para planos de financiamento em vinte quatro meses, entre elas, o plano Sign & Go, com entrada de R$ 59.990 mais parcelas mensais de R$ 2.717 e uma final de R$ 93.975 no último mês dos dois anos, com a opção de garantia de recompra da concessionária ao término do contrato. Produzido na fábrica do BMW Group em Araquari (SC) e equipado com um motor BMW 2.0 TwinPower Turbo de quatro cilindros com 184 cavalos de potência (de 5 mil a 6.500 rpm) e torque de 31 kgfm (de 1.350 a 4 mil rpm), o novo 320i é oferecido no país em três versões de acabamento: 320i Sport, 320i Sport GP e 320i M Sport. O conjunto motriz, que inclui ainda tração traseira e câmbio automático de 8 marchas, faz com que o sedã seja capaz de acelerar de zero a 100 km/h em 7,1 segundos e atingir a velocidade máxima de 240 km/h.

Estilo polido
O polimento é uma técnica ideal para quem está com manchas na pintura do carro, riscos pouco profundos, queimaduras de sol, dejetos de pássaros ou mesmo no caso de veículo que não tem mais o brilho de antes. Com o polimento, o automóvel terá um valor diferenciado no mercado. O trabalho de polir necessita de massa abrasiva e politrizes em alto número de rotações. Em alguns casos, até uma lixa d’água fina ou seca pode ser usada para retirar manchas e sujeiras mais difíceis, mas isso pode acabar retirando um pouco do verniz da tinta. Veículos com tonalidades mais escuras, como preto, azul-marinho, marrom e chumbo, merecem mais atenção, pois podem revelar mais facilmente um trabalho inadequado. O procedimento é muito eficiente e deixa a pintura com cara de nova, porém, deve ser feito com moderação. Especialistas recomendam que o polimento seja feito apenas três vezes, no máximo, ao longo da vida útil do carro. Os principais insumos e ferramentas utilizadas são a Politriz, para efetuar o polimento, o Hookit, faz o lixamento do veículo, lixas de grão P1000 e P1200,  para eliminar riscos e escorridos em processo a seco, lixa de grão P1500, para tirar impurezas de pequenas proporções na pintura, lixa de grão P4000, elimina marcas de lixa e pintura opaca, massa de polir e líquido polidor, para eliminar pequenos riscos deixados pelo lixamento, líquido lustrador e autobrilho, tiram riscos deixados pelo líquido polidor, cera, protege a pintura e realça o brilho, algodão para aplicar a cera, boina macia para eliminar pequenos riscos do lixamento, boina supermacia para tirar pequenos riscos deixados pela boina macia e boina de espuma, elimina marcas deixadas pela boina supermacia. Antes de iniciar o polimento, o carro deve ser lavado para remover a poeira, o barro e outras sujeiras. Um bom polimento só é bem feito quando o profissional está treinado para essa prática.

Elétricos de aluguel
A inclusão de veículos elétricos e híbridos nas frotas de locação é uma possibilidade que aguarda políticas de incentivo ao uso desses veículos e a necessidade de adequar a rede de abastecimento à oferta de recarga elétrica. Mas um empurrão para que as locadoras se preparem se dará durante o XIV Fórum Internacional do Setor de Locação de Veículos, que acontece dias 1 e 2 de outubro, paralelo ao Veículo Elétrico Latino-Americano, no Transamérica Expo Center. No Fórum, estarão disponíveis modelos da Ford, da Volkswagen e da JAC Motors, que poderão ser testados. Lá estará inclusive o recém-lançado JAC iEV20, que disputa o título de carro elétrico mais barato do Brasil – custa R$ 119.900. “Hoje, há pouquíssimos veículos elétricos para serem alugados no Brasil, mas existe uma perspectiva de crescimento dessa modalidade entre as locadoras, o que deve fortalecer o papel do setor como parte das soluções de mobilidade urbana que as grandes cidades estão desenvolvendo”, avalia Paulo Miguel Júnior, presidente da ABLA – Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis.

35 anos
Tudo começou em agosto de 1984, quando foi apresentado para o mercado brasileiro um novo conceito mundial de automóvel, um veículo revolucionário e que cairia no gosto popular: o Fiat Uno. “Pequeno por fora e grande por dentro”, o modelo se transformou em um ícone ao garantir grande espaço interno em um tamanho compacto. Em pouco tempo, conquistou o público. O sucesso foi tanto que o modelo se mantém na linha Fiat até hoje, 35 anos depois. São poucos os veículos que conseguem sobreviver a tantos anos na indústria automotiva e o Uno reúne um legado de evolução constante. Desenhado por Giorgetto Giugiaro, o modelo foi lançado um ano antes na Itália e logo depois chegou à versão adaptada aos usos e costumes tropicais. Mais resistente ao uso severo e com o porta-malas maior, recebeu elogios até mesmo dos italianos. O sucesso da versão brasileira foi tanto que mais tarde o Uno começou a ser exportado até mesmo para o seu país de nascimento. Até julho de 2019, foram produzidas cerca de 4 milhões de unidades do Uno no Polo Automotivo Fiat, em Betim (MG). Ele foi o modelo mais vendido da marca até hoje. Além de ser comercializado no Brasil, é exportado para a Argentina, o México, a Colômbia, a Costa Rica, a Guatemala, o Chile, o Uruguai, a Bolívia e o Peru. Chamado de Mille por um tempo, o carro voltou ao nome original na atual geração, em 2010, com o visual inspirado no italiano Panda.

 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Teste da Triumph Tiger 1200 XCa
CORREIO VEÍCULOS

Teste da Triumph Tiger 1200 XCa

Destaques da Fenatran 2019
CORREIO VEÍCULOS

Destaques da Fenatran 2019

Nova visão do futuro: Toyota Mirai
CORREIO VEÍCULOS

Nova visão do futuro: Toyota Mirai

Cidade adentro: Iveco Daily 2020
CORREIO VEÍCULOS

Cidade adentro: Iveco Daily 2020

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião