Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CARMAIS

Coluna com dicas e novidades
sobre automóveis

7 NOV 19 - 06h:00DANIEL DIAS/Agência AutoMotrix

Raio de modernidade
A Chevrolet deu início à pré-venda do Bolt EV no Brasil, com preço de R$ 175 mil. O mais novo crossover elétrico da marca começa a ser ofertado inicialmente em doze cidades selecionadas com base em estudos de mercado: São Paulo (SP), Campinas (SP), São José dos Campos (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC), Joinville (SC), Recife (PE) e Vitória (ES). “O Bolt EV é um crossover com tudo aquilo que o consumidor contemporâneo deseja. É atraente, inteligente, divertido de se guiar e muito equipado. Além disso, é um veículo zero emissão”, destaca Carlos Zarlenga, presidente da GM América do Sul. O Bolt EV oferece o alto torque característico dos motores elétricos. Arrancadas de zero a 100 km/h podem ser feitas em aproximadamente 7 segundos. Isso porque o conjunto propulsor entrega 203 cavalos de potência e 36,7 kgfm de torque em qualquer faixa de rotação. No quesito segurança, o crossover 100% elétrico tem dez airbags, assistente de permanência na faixa, alerta de ponto cego, aviso de tráfego traseiro cruzado, alerta de colisão frontal e sistema de frenagem automática com detecção de pedestres para mitigar acidentes. Outra novidade são as câmeras – de alta definição – para visão de 360 graus que auxiliam em manobras de estacionamento e ficam localizadas nas extremidades do veículo. O carro conta com uma interessante tecnologia que transforma o espelho interno em uma tela com imagens da parte traseira em maior ângulo. Até os 240 mil quilômetros, os principais serviços de revisão do Bolt EV se concentram nas trocas de itens de desgaste decorrentes do uso do veículo, como o filtro do ar-condicionado e as pastilhas dos freios. O Bolt estreia com cinco opções de cores: Branco Summit, Vermelho Glory, Prata Switchblade, Preto Ouro Negro e Cinza Graphite.

Sob o olhar de Da Vinci
A Fiat será apoiadora institucional da exposição “Leonardo da Vinci – 500 Anos de um Gênio”, que estará em cartaz no MIS Experience, na capital paulista, de 2 de novembro a 1º de março de 2020. Para coroar o seu apoio à exposição inédita, a Fiat destacou o sedã Cronos HGT como “Carro Oficial” do evento. “A Fiat, por natureza, é moderna, vibrante e ousada. Para nós, a associação com esta inovadora exposição do MIS é coerente com o perfil da nossa marca. Também temos uma conexão profunda com São Paulo, o mais italiano dos Estados brasileiros, que reúne o maior contingente de descendentes fora da Itália. Mantemos aqui operações muito importantes para os nossos negócios na América Latina, portanto, temos muito orgulho em apoiar essa iniciativa e dividir a oportunidade de conhecer mais sobre o legado de Da Vinci com nossos empregados, clientes, concessionárias e fornecedores”, afirma Antonio Filosa, presidente da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) para a América Latina. O Cronos HGT destaca a posição elevada da central multimídia e dos comandos intuitivos do volante. Ambos foram projetados para aliar o melhor do design ao máximo da funcionalidade. A exposição “Leonardo Da Vinci – 500 Anos de um Gênio” consiste em uma experiência imersiva, possibilitando ao visitante conhecer a vida e o legado de Da Vinci por meio de uma mostra interativa. Considerada a investigação mais completa e detalhada sobre o trabalho de Leonardo da Vinci já feita, a mostra apresenta dezoito áreas temáticas em uma experiência multissensorial com animações gráficas em alta definição, combinadas a conteúdo multimídia e narrativa em áudio. A mostra marca, ainda, a inauguração do MIS Experience, espaço que resulta de uma parceria com a Rádio e TV Cultura e amplia o trabalho feito pelo Museu da Imagem e do Som de São Paulo. Localizado em uma nova área, contígua à sede da TV Cultura, o MIS Experience tem espaço expositivo de 1,7 mil metros quadrados e outros oitocentos metros quadrados de área de projeção.

Tacada eletrificada
Primeiro veículo da ofensiva elétrica da Volkswagen na América Latina, o Golf GTE chega trazendo um novo conceito de mobilidade para o Brasil, com preço de R$ 199.990. Além do carro, a marca alemã passa a oferecer as soluções mais eficientes de micromobilidade disponíveis no mundo: uma bicicleta e um patinete elétricos. O híbrido Golf GTE tem dois motores, um a combustão 1.4l TSI (turbo) com 150 cavalos e um elétrico de 75 kW (102 cavalos). Combinados, oferecem potência de 150 kW (204 cavalos). O carro pode chegar a 130 km/h apenas no modo elétrico. Os principais sistemas do veículo são acionados de forma rápida e são sempre visualizados, seja no painel de instrumentos ou no sistema de infoentretenimento com tela sensível ao toque, que mostra as funções como monitor de autonomia, fluxo de energia e estatísticas de emissão zero.

Cinco anos com estilo
Para comemorar os cinco anos da fábrica do BMW Group Brasil em Araquari, Santa Catarina, a marca alemã lança uma edição especial e limitada do Série 3. O carro mais vendido na história da fabricante e o primeiro produzido no Brasil foi o escolhido para marcar a celebração com a versão 320i M Sport 5 Years Edition. Serão apenas vinte e quatro unidades na cor Cinza Mineral e interior em Cognac, com preço de R$ 239.950. O modelo vem com Acessórios Originais que oferecem um visual ainda mais sofisticado e exclusivo, como é o caso da grade frontal M Performance em preto. “Queremos comemorar o aniversário da fábrica em Araquari de uma forma única e diferente, por isso, criamos esse modelo especial e que foi pensado por toda a nossa equipe em todos os detalhes”, comemora Mathias Hofmann, diretor-geral da fábrica de Araquari. O modelo é equipado com motor 2.0 TwinPower Turbo de quatro cilindros com 184 cavalos de potência (de 5 mil a 6.500 rpm) e torque de 31 kgfm (de 1.350 a 4 mil rpm). O conjunto motriz, que inclui tração traseira e câmbio automático de 8 marchas, faz o sedã acelerar de zero a 100 km/h em 7,1 segundos e atingir a velocidade máxima de 240 km/h.

Emoção ao alcance da mão
Os fervorosos aficionados do superesportivo 911 ganharão um presente da Porsche. A marca alemã anunciou que passará a oferecer o câmbio manual DIY de 7 marchas como item opcional, sem aumento de preço. A transmissão estará acoplada ao novo motor 3.0 biturbo de seis cilindros com 450 cavalos de potência. O 911 passará a ser o carro de rua com o maior número de marchas com um câmbio manual. Segundo a fabricante alemã, a nova configuração será poucos décimos de segundo “mais lenta” do que os 3,5 segundos da transmissão automática PDK de 8 velocidades para acelerar de zero a 100 km/h. A opção manual estará disponível para os modelos 911 Carrera S, 4S Coupé e Cabriolet. O 911 (chamado também de Carrera) é um esportivo produzido em Stuttgart, Alemanha, desde 1964. O modelo está em constante evolução desde seu lançamento, no Salão de Frankfurt de 1963, com o nome de 901.

Princípio evolutivo
De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), outubro fechou o melhor doze meses seguidos de vendas dos últimos anos. Entre carros e comerciais leves – os dois segmentos com maior volume de vendas sobre quatro rodas –, foram emplacadas 241.175 unidades no décimo mês, representando uma queda de 1,37% na comparação com o mesmo intervalo do ano passado e alta de 8,05% sobre setembro de 2019. No acumulado de janeiro a outubro deste ano, as vendas foram de 2.176.145 unidades somando os dois segmentos, um crescimento de 7,52% ante igual período de 2018. No “Top Ten” dos modelos, o Chevrolet Onix – a um mês do lançamento de sua segunda geração – manteve em outubro uma liderança de quase cinco anos, com 21.198 emplacamentos, seguido pelo Ford Ka (9.691), pelo HB20 (8.332), no primeiro mês completo da nova geração do compacto brasileiro da Hyundai, pelo Fiat Argo (7.586), pelo Volkswagen Polo (7.245), pelo Chevrolet Onix Plus, o “herdeiro” do Prisma, com 7.140, pelas Fiat Strada (6.958) e Toro (6.914), pelo Jeep Renegade (6.680), o líder entre os SUVs, e pelo Volkswagen Gol (6.570). Entre as fabricantes, a General Motor ficou novamente em primeiro em outubro, com 43.294 unidades comercializadas e 17,9% de participação de mercado, acompanhada da Volkswagen (37.756 e 15,6%), da Fiat (34.420 e 14,2%), da Ford (20.829 e 8,6%), da Toyota (19.847 e 8,2%), da Renault (19.587 e 8,1%), da Hyundai (17.631 e 7,3%), da Jeep (12.433 e 5,1%), da Honda (10.715 e 4,4%) e da Nissan (9.377 e 3,8%).

Segurança no negócio
Apesar de os seguros de veículos estarem em crescimento negativo em 2019 – com menos apólices vendidas em comparação ao ano passado –, algumas operadoras estão tendo os melhores balanços de sua história. Muito complexa, a operação de seguro é composta de diferentes variáveis que interferem no resultado do negócio. Para terem lucro, as empresas de seguro devem ter um índice combinado abaixo de cem pontos, que é o prêmio da operadora. Do total, a seguradora tem de abater as indenizações, as despesas administrativas e comerciais e os impostos. Com um resultado de menos de cem pontos, a operadora ganha, com mais, perde. Em tempos de juros altos, como foi a situação no Brasil até pouco tempo, a realidade fica distorcida, fazendo com que, mesmo com índice acima de cem pontos, a seguradora lucra. Com juros mais baixos, uma combinação de cento e três pontos é suficiente para a companhia pelo menos empatar o balanço. Mas a situação no país acabou equilibrando as coisas em favor das seguradoras. A queda do número de veículos roubados ou furtados reduziu praticamente em 20% o número de indenizações por perda total do bem. Conforme estudo feito pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, a queda acentuada dos roubos e a redução das colisões estão, dependendo da seguradora, compensando com sobra a redução do faturamento em novos negócios. Ou seja, a diminuição no número de veículos roubados e de acidentes acabaram ajudando as operadoras de seguro.

À meia-boca
O Renault New Duster, produzido na Romênia e que será feito no Brasil em substituição à atual geração nacional, alcançou quatro estrelas na Proteção de Ocupantes Adultos e três na Proteção de Ocupantes Infantis no mais recente teste promovido pelo Latin NCAP. A nova versão do SUV oferece equipamento padrão de dois airbags frontais e controle eletrônico de estabilidade. A estrutura foi considerada instável no impacto frontal e não conseguiu suportar cargas mais elevadas. No impacto lateral, a estrutura sofreu uma alta penetração, o que não é esperado em uma nova versão de um modelo. As duas cabeças dos bonecos infantis tiveram contato com o interior do veículo durante o impacto do teste, aumentando a probabilidade de ferimentos. O New Duster oferece ancoragens Isofix e Top Tether como padrão nas duas posições traseiras externas e Lembrete de Cinto de Segurança (SBR) nos dois bancos dianteiros. O New Duster foi testado na versão romena, importada principalmente para o Chile. Quando a nova geração for fabricada na América Latina, será auditada assim que estiver disponível e os testes serão publicados. Naturalmente, o Latin NCAP espera que a segurança do modelo aumente quando for produzido no Brasil.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Mini no máximo
CORREIO VEÍCULOS

Mini no máximo

Volkswagen T-Cross
CORREIO VEÍCULOS

Volkswagen T-Cross

Coluna semanal com dicas <br>e novidades sobre motos
MOTOMAIS

Coluna semanal com dicas e novidades sobre motos

Coluna semanal com dicas <br>e novidades sobre automóveis
CARMAIS

Coluna semanal com dicas e novidades sobre automóveis

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião