Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

CORREIO VEÍCULOS

Amarok V6: Robusta,
mas sem perder a elegância

Custa a partir de R$ 193.710, equipada com rodas aro 18 e pneus 255/60

6 JAN 19 - 07h:10LEANDRO GAMEIRO

Fabricada em Pacheco, na Argentina, a Amarok com o propulsor 3.0 V6 TDI, diesel, gera 225 cv e 56,1 kgf.m de torque. Custa a partir de R$ 193.710, equipada com rodas aro 18 e pneus 255/60, tendo como único opcional as rodas de 19 polegadas. Já a versão mais cara, sai por R$203.800, e acrescenta alguns acessórios como, santantônio esportivo na cor da pick-up, estribos laterais planos de alumínio e rodas de liga leve 20”. Esses preços foram consultados no site da Volkswagen, mas existem preços e condições especiais, variando de região para região.

Por fora, a Amarok é igualzinha às versões Highline do modelo 2.0, exceto pela inscrição “V6” na grade do radiador e na tampa traseira, além dos retrovisores pintados de preto com detalhes cromados. Quando aceleramos é que sentimos a principal diferença, robusta, mas sem perder a elegância. O motor enche rápido, o motorista “cola” no banco, e sabe o melhor? Se precisar frear, ela freia, e muito, pois tem disco nas 4 rodas, única da categoria.

A lista de equipamentos da Amarok V6 Highline é gigante. Entre os principais estão, os faróis bixenônio com luzes diurnas em LEDs, sistema de auxílio ao estacionamento com câmera de ré, sistema de freios pós-colisão, indicador de perda de pressão dos pneus, bloqueio eletrônico do diferencial traseiro, controle de tração e assistentes de descida e partida em rampa; Bancos revestidos parcialmente em couro, com ajustes elétricos nos dianteiros, ar-condicionado é digital e tem apenas uma entrada USB. O sistema de multimídia tem tela de 6,3 polegadas sensível ao toque e compatível com Apple Carplay e Android Auto.

A novidade é uma tela com indicadores off-road, que mostra três dados importantes: bússola, ângulo de direção das rodas e altímetro. Em dimensões, a Amarok tem 5,254 metros de comprimento, 1,944m de largura e um entre eixos de 3,097 metros e pesa 2.185 kg.

Pontos negativos

Chave, para um carro de 190 a 200 mil reais, poderia ser presencial, e ter partida no botão.

Acabamento poderia ser mais sofisticado, pois estamos falando de um carro de 190 mil. E sabendo que a VW já tem o Active info display no Polo e em outros modelos abaixo deste valor, poderia incrementar a picape. A Amarok Highline poderia vir com resfriamento nos bancos e para as regiões mais frias com aquecimento dos assentos.

Pontos positivos

Motor mais potente da categoria, suspensão mais equilibrada e sistemas de freios mais eficientes que os da concorrência. O sistema multimídia é de fácil acesso, ou seja, fácil de conectar e desconectar o telefone, a tração 4Motion é inteligente, não precisando ficar engatando ou desengatando e ela distribui as forças conforme demanda.

Impressões ao dirigir 

Como eu sempre digo, testar os carros das montadoras é muito bom, mas às vezes os carros vêm com alguns detalhes e temos que fazer vista grossa. No caso da Amarok, veio faltando um para barro e alguns riscos na lata, mas é a tal história: “Carro que passa de mão em mão, não tem dono.” Percorremos 700 quilômetros com a picape, e ela fez uma média bem bacana, pelo motorzão que tem. Na cidade fez 7km /l, já na estrada chegou a fazer 10km/l. Na média geral ficou em 8,5km/l, o que consideramos bom, se compararmos com as médias das concorrentes.

Sem dúvida, a Amarok é uma das picapes mais confortáveis do mercado, apesar do seu design ser considerado ultrapassado. Como em nosso teste teve bastante estrada de terra, pudemos utilizar todos os itens “off road” da camionete, tanto o sistema que auxilia em descidas, que freia sozinho, quanto o bloqueio de diferencial.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Frota de veículos no País está mais velha, diz pesquisa
CORREIO VEÍCULOS

Frota de veículos do País é a mais velha em 18 anos

Jeep Renegade: motor de sobra, <br>espaço de menos
TESTE DA SEMANA

Jeep Renegade: motor de sobra, espaço de menos

Roberta D'Albuquerque: <br>"A última carta que recebi"
COMPORTAMENTO

Roberta D'Albuquerque: "A última carta que recebi"

LANÇAMENTO

Scania apresenta nova geração
de caminhões na Capital

Mais Lidas