Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

HABILITADOS

Frigoríficos de MS poderão exportar para o Egito

Em todo o Brasil são 42 habilitados
11/04/2020 14:01 - Izabela Jornada


Sete frigoríficos em Mato Grosso do Sul foram habilitados pelo  Egito para exportar carne bovina e demorando. Além das plantas habilitadas no estado, mais 35 outros frigoríficos brasileiros também estão aptas a exportar esses  produtos para o país.

A decisão do país árabe de ampliar seus fornecedores de proteína animal, considerou uma possível instabilidade no abastecimento devido à crise do novo coronavírus no mundo.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) as plantas frigoríficas recém aptas a exportar ao Egito estão instaladas em sete municípios, sendo as de Itaquiraí, Caarapó e Aparecida do Taboado para exportação de carne de frango e São Gabriel do Oeste, Anastácio, Iguatemi e Rochedo para venda de carne bovina.

Em 2019, Mato Grosso do Sul exportou US$ 76,5 milhões ao Egito, sendo a carne bovina o produto mais comercializado entre o Estado e o país árabe, seguido de milho para semeadura e celulose. Os dados são da equipe econômica da Secretaria  de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro).

“Essa habilitação mostra a confiança do Egito na carne brasileira e é importante para nós, principalmente neste momento quando precisamos de relações comerciais fortes e que contribuam para a retomada da economia”, afirma o secretário Jaime Verruck, titular da Semagro.

 
 
VEJA TAMBÉM

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?