Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MAIO

Calendário de vacinação contra a aftosa não será alterado por conta da pandemia

Ações do plano nacional que prevê a retirada da vacinação até 2023 também está mantido no Estado
29/03/2020 15:02 - Glaucea Vaccari


 

Calendário de vacinação contra a febre aftosa, previsto para maio, será mantido em Mato Grosso do Sul, assim como o calendário de ações programadas  do Plano nacional que prevê a retirada da vacinação até 2023 no Estado.  

Decisão foi anunciada após reunião do diretor-presidente da Agência Estadual de Defesa Sanitária Vegetal e Animal (Iagro), Daniel Ingold, diretores de agências de todo o País e representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) por teleconferência, e em seguida com o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, este último presidente do Comitê Gestor do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), em Mato Grosso do Sul.

Segundo o secretário da Semagro, Jaime Verruck, o cronograma de vacinação não sofrerá nenhuma alteração e os pecuaristas já podem organizar a sua programação para aquisição das doses da vacina, bem como a de aplicação.

Dia 15 de abril continua valendo como a data para pedidos de antecipação da vacinação em todas as regiões sanitárias do Estado – Planalto, Fronteira e Paraguai.

Vacinação para os animais das regiões do planalto e fronteira tem início em 1º de maio e término em 31 de maio. A declaração de vacinação, no sistema, para os pecuaristas destas duas regiões termina em 15 de junho.

O Pantanal, dada suas peculiaridades, continua com data diferenciada. A vacinação tem início em 1º de maio e o término em 15 de junho e a declaração pode ser feita até 30 de junho.

* Com assessoria

 

Felpuda


Outrora afinadíssimo com o presidente Jair Bolsonaro, parlamentar sul-mato-grossense começou a ser escanteado em consequência de uma das crises políticas de grande repercussão. A figura entrou em campo e botou falação sobre o que estava ocorrendo, e isso soou que só como crítica pesada ao governo, que, como não poderia deixar de ser, não gostou nadica de nada. Há quem diga que o dito-cujo é muito levado “pelo sangue”. Então, tá!...