Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

CUIDADO!

Smartphones usados em excesso prejudicam crianças, revela pesquisa

Força física e a capacidade atlética sofrem queda

25 DEZ 19 - 20h:00AGÊNCIA BRASIL, com NHK

Uma pesquisa realizada pela Agência de Esportes do Japão descobriu que a força física e a capacidade atlética das crianças sofreram queda.

A agência disse que isso se deve em parte ao uso de smartphones.

O estudo, realizado anualmente no Japão, verifica as atividades físicas, tais como corridas e lançamentos de bolas, assim como o estilo de vida das crianças. A pesquisa deste ano cobriu mais de 2,1 milhões de estudantes do quinto ano do curso primário e do segundo ano do curso ginasial.

A média nacional da capacidade física teve queda em comparação ao ano passado, tanto no caso dos meninos como das meninas. A média dos meninos do quinto ano caiu para o nível mais baixo desde que a pesquisa começou a ser realizada em 2008.

O estudo descobriu que as crianças, especialmente os meninos do curso primário, passam mais tempo assistindo à televisão ou utilizando smartphones.

O tempo médio que os estudantes do curso ginasial passam praticando atividades atléticas caiu em mais de 90 minutos por semana.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Brasil é o 3º país em que pessoas passam mais tempo em aplicativos
PESQUISA

Brasil é o 3º país em que pessoas passam mais tempo em aplicativos

Veja o que esteve em alta no Google no Brasil em 2019
INTERNET

Veja o que esteve em alta no Google no Brasil em 2019

Quer saber o que mais foi pesquisado no Google em MS? Confira aqui!
GOOGLE BUSCAS

Quer saber o que mais foi pesquisado no Google em MS? Confira aqui!

Assinantes de TV paga receberão alertas de desastres naturais em MS
A PARTIR DE SEGUNDA

Assinantes de TV paga receberão alertas de desastres naturais em MS

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião