Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CULTURA

Artistas gravam lives e dão cursos pela internet

Sem renda e cumprindo o isolamento, artistas gravam lives com apresentações musicais e até cursos de teatro
25/03/2020 07:00 - Naiane Mesquita


 

Com a pandemia do novo coronavírus e o isolamento social, diversos artistas perderam a fonte de renda nos últimos dias por conta do fechamento de bares e cancelamento de eventos públicos.  

Neste período de incertezas, em que os recursos são limitados ou nulos, há um movimento crescente de união da classe artística para a promoção de shows, apresentações culturais e aulas pela internet.  

“Com toda essa crise do coronavírus, os artistas foram um dos mais afetados pela economia, principalmente os músicos que vivem exclusivamente de música. Sem poder tocar, sem poder estar no palco e em confinamento, também é difícil”, explica Ernani Júnior, baterista e integrante da banda Foogha.  

Ao lado do músico Rafael Barros, da banda On The Road, Ernani decidiu criar o Festival Ao Vivo em Casa, com apresentações diárias pela internet, tendo a participação de diversos artistas. “Nossa ideia é movimentar a cena cultural enquanto estamos nesse período, como se fosse um show no bar, mas em casa. Eu tive essa ideia do nada, mas fui dar uma olhada e já estavam fazendo em outros lugares, como na Europa e nos Estados Unidos”, frisa.  

A agenda de shows é divulgada por meio do perfil no Instagram @aovivoemcasams. “Também organizamos os horários dos shows porque estava acontecendo de dois ou três artistas realizarem apresentações no mesmo horário. Montamos um grupo e vamos organizando os cronogramas. Os fãs também conseguem se organizar para assistir”, ressalta Ernani.  

A programação começou no domingo e segue todos os dias, tanto pelo Facebook quanto pelo Instagram. “Já está tudo lotado até semana que vem. Eu e o Rafael também ajudamos os artistas com orientações de como filmar melhor, posicionar a câmera do celular, o melhor equipamento. A ideia é oferecer qualidade apesar de ser feito em casa. No futuro, esperamos contar com a doação em dinheiro dos fãs, como se fosse passar o chapéu, com o que puder. Têm artistas que estão precisando muito do dinheiro e até estamos pensando em montar cestas básicas para ajudar nesses casos”, indica.  

Cursos

No mesmo caminho traçado pelos músicos, a atriz e professora de teatro Angela Montealvão optou por ministrar aulas a distância aos alunos. “Fiz uma live ontem, uma tentativa das possibilidades de aula de teatro, experimentando algumas coisas, sabendo, é claro, que são meras possibilidades, uma vez que o teatro por essência necessita do encontro pessoal”, explica.  

Angela frisa que as atividades pela internet, ou mesmo o cinema e a novela, são representações, mas não podem ser consideradas o teatro genuíno, portanto, as aulas ocorrerão dessa forma apenas para diminuir a distância física durante a pandemia. “O encontro é umas das premissas básicas e essenciais do teatro. Por isso, apesar de toda tecnologia, cinema 3D e superproduções, nada substitui o teatro. Ele sempre existirá, independentemente de quanto a tecnologia avançar”, acredita.  

Além das aulas, a atriz – que está grávida – precisou cancelar as apresentações do espetáculo Co’Ser, que seria encenado nos dias 1° e 2 de abril. “Foi um impacto total na nossa renda. Somos dois atores, eu e o meu marido, Vitor, portanto, toda a renda da família está paralisada, sem previsão de retorno com a pandemia. Porém, embora seja significativamente importante o impacto financeiro, ainda mais para nós, que estamos à espera do Inácio, julgamos extremamente necessária a paralisação, e o motivo de maior preocupação e tristeza neste momento é a possibilidade de ver nossos entes adoecidos, sem leitos disponíveis. A saúde financeira pode esperar e recuperamos de alguma forma depois. As vidas são irreparáveis”, reflete.  

A primeira live com os alunos, que têm idade entre 9 e 14 anos, deu certo. “Interagiram bem. Contei com a participação de alunos também, dividindo a live. Óbvio que limitado, mas deu para brincar e matar um pouquinho da saudade deles e das aulas”, conta.

Felpuda


Dois pedidos de desculpas, de autorias diferentes, foram assuntos muito comentados nas redes sociais com críticas ácidas às suas declarações, até porque os envolvidos não só os usaram despropositadamente, como tiveram de voltar a eles para se redimirem. Um deles, inclusive, quase criou uma crise política da-que-las, o que obrigou seu pai, figurinha carimbada, a pular miúdo para colocar panos quentes sobre a questão. Essa gente!...