Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COLUNA PERFIL

A fase adulta de Sthefany Brito

A atriz ressalta maturidade da densa Donatella de “Amor Sem Igual”
23/03/2020 16:17 - Caroline Borges/TV Press


 

As feições doces e o jeito suave de Sthefany Brito direcionaram boa parte de seus papéis na tevê. Não à toa, a atriz estava acostumada a ser escalada para tipos mais tranquilos e ingênuos. No entanto, a oportunidade para “Amor Sem Igual”, exibida pela Record, fez com que a atriz encarasse seu primeiro papel mais intenso. Na trama de Cristianne Fridman, ela vive Donatella, uma garota de programa. “É meu papel mais adulto da carreira, uma mulher que passa por situações fortes e pesadas. Apesar de ela ser uma mocinha, ela vai se descobrindo mulher ao longo da história. Ou seja, vai ganhando uma força com o autodescobrimento. É um tema bastante ousado e um figurino mais sensual, mas sem precisar ser vulgar”, defende.

Na trama, Donatella é neta de Geovani, papel de Paulo Figueiredo. Os dois vivem em uma casa de idosos. Porém, a jovem leva uma vida dupla, fazendo programas para pagar a mensalidade da faculdade de Enfermagem. “A prostituição não foi uma escolha, mas uma necessidade. Uma forma rápida que ela encontrou para se bancar, e uma forma honesta. Afinal, é o corpo dela e ela tem o direito de escolher o que fazer. É uma realidade de muitas meninas, mas uma realidade velada”, explica. Donatella também acaba se envolvendo com o vilão Tobias, papel de Thiago Rodrigos. A jovem acaba embarcando em uma relação abusiva com o empresário. “Os clientes acham que estão pagando e que têm algum tipo de direito ou controle. Tem situações muito cruéis. Ela acaba se envolvendo com o Tobias e ele acha que é o dono dela. São muitas relações abusivas nesse meio, algumas acabam se apaixonando e acham que os clientes irão assumi-las”, ressalta. 

Com uma abordagem suave do universo da prostituição, Sthefany não chegou a conversar com nenhuma garota de programa. A atriz buscou compreender os sentimentos e as situações pelas quais a personagem passaria. “Quis entender esse lugar que essas meninas são colocadas na sociedade. Me aprofundei no sentimento e nessa vida dupla. É bem triste pensar que existam mulheres nessa situação, não consigo imaginar. É algo puxado”, avalia Sthefany, que participa de sua terceira novela na Record. “Fiz duas bíblicas seguidas. Tinha dois metros de cabelo, estava sempre colocando mega (risos). Estou feliz com o trabalho em ‘Amor Sem Igual’. É uma personagem com conteúdo bacana”, completa.

Aos 32 anos, Sthefany valoriza o atual momento de sua carreira. A atriz começou na tevê em “Chiquititas” e, de lá para cá, cresceu diante das câmeras. Após uma série de trabalhos na Globo, Sthefany começa a construir uma história profissional na Record. “Comecei muito nova e tenho muita sorte de ter me encontrando profissionalmente tão pequena. Amo o que faço e estou muito feliz na Record. É uma emissora em que me sinto muito acolhida”, valoriza. Apesar dos longos anos na tevê, Sthefany confessa que passou a lidar melhor com a exposição e as críticas recentemente. “Já me incomodou muito. Hoje, não. De uns anos para cá, eu entendo que faz parte. Recebemos muitos elogias, mas também muitas críticas e julgamentos de pessoas que acham que sabem da situação, mas não sabem de nada realmente. Atualmente, eu estou sabendo me preservar”, aponta.

Enrolada

Em “Amor Sem Igual”, é comum ver Sthefany Brito desafiando a Lei da Gravidade. Donatella, personagem da atriz, faz apresentações de tecido acrobático no fictício Mademoiselle Olympia Night Club. Sthefany já havia praticado tecido na infância. Porém, ao retornar para a novela, a atriz precisou reaprender a atividade e viu que tudo estava muito diferente. “Quando criança, eu tinha 40 kg. Subia e descia o tecido como se não tivesse peso (risos). Não tinha medo de nada, então eu me jogava. Hoje mais velha, as coisas são diferentes. Mas é uma delícia de fazer, ter esse reencontro com o tecido foi muito legal e você precisa ter muita força no braço e abdômen. Eu saía de lá com dores onde eu nem imaginava que poderia doer”, explica. 

Com a rotina intensa dos estúdios, Sthefany tem feito das aulas de tecido sua principal atividade física. A atriz, inclusive, começou a ver algumas mudanças em seu corpo. “Sinto uma maior diferença no meu abdômen e nos braços. Acho que peguei rápido a subida, mas é muito técnico, você tem de entender e aprender os movimentos para fazer os números finais. É mais perder o medo, saber que você está ali segura, que não vai cair e se jogar mesmo, sem parar para pensar”, afirma.

Instantâneas

# Em outubro do ano passado, Sthefany se separou do empresário Igor Raschkovscky. “Estou bem e trabalhando bastante. O Igor é uma das pessoas que mais admiro no mundo”, elogia.

# Por conta das gravações de “Chiquititas”, do SBT, a atriz chegou a morar por um tempo na Argentina. 

# Em “O Rico e Lázaro”, Sthefany contracenou ao lado do irmão Kayky Brito.

# A atriz tem uma experiência como apresentadora da extinta “TV Globinho”.

Felpuda


Dez vereadores da Capital mudaram de partido na tentativa de encarar a reeleição ou, dependendo do caso, disputar a vaga de vice-prefeito. Legendas foram “engordadas”, outras entraram em estado de inanição e outras ainda simplesmente sumiram do mapa. Que ninguém ouse perguntar a quem “trocou de camisa” qual a linha programática dos partidos em que agora estão filiados. Seria para eles, digamos, questão de pouca importância. Política tem dessas coisas...