Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“Chegou a hora de todos darmos as mãos, de levantarmos uma bandeira branca. Estamos vivendo um momento de guerra e na guerra todos perdem”

de DAVI ALCOLUMBRE, presidente do Senado, propondo uma trégua na reunião de videoconferência do Planalto com os governadores
22/05/2020 06:00 - Giba Um


“Chegou a hora de todos darmos as mãos, de levantarmos uma bandeira branca. Estamos vivendo um momento de guerra e na guerra todos perdem”,          
de DAVI ALCOLUMBRE // presidente do Senado, propondo uma trégua na reunião de videoconferência do Planalto com os governadores

O Brasil não foi convidado para a “Colaboração Global para Acelerar o Desenvolvimento, Produção e Acesso Equitativos diagnósticos, tratamento e vacina contra a Covid-19”

Mais: tudo por causa de brigas deflagradas por Jair Bolsonaro. Fazem parte países como França e Alemanha, organizações internacionais, fundações e empresas privadas.

 
 

7 quilos de gordura

A cantora sertaneja Naiara Azevedo, 30 anos, continua se esforçando para manter a boa forma. Ela que já perdeu 33 quilos, resolveu também  fazer algumas cirurgias plásticas no começo do ano, colocou silicone e fez uma lipoaspiração retirando cerca de 7 quilos de gordura. Muito vaidosa, ela garante que quer fazer preenchimento labial. “O que eu não fiz foi porque não deu tempo de fazer, o resto eu faço tudo mesmo. Faço botox”. Agora mostra o resultado de suas cirurgias num ensaio feito antes da pandemia e revela: “Sempre me amei e não me via gorda. Sempre me achei bonita. Hoje eu olho e vejo a diferença de peso, claro. Me amava lá atrás e hoje me amo muito mais. Sempre me achei gostosa. Sempre tive essa autoconfiança, esse amor próprio”.

Palavra de Lula

Solto da cadeia graças à generosidade do STF, Lula, 76 anos, foi sentenciado pela pandemia à prisão domiciliar. Recolhido, não sofre de insanidade, como acusam os inimigos. Ao contrário, aproveita cada segundo do convívio. E deu uma entrevista à revista Carta Capital, quando demonstrou sua sapiência: “Quando vejo essas pessoas acharem que tem de vender tudo o que é público e que tudo que é público não presta nada... Ainda bem que a natureza, contra a vontade da humanidade, criou esse monstro chamado coronavírus, porque esse monstro está permitindo que os cegos enxerguem, que os cegos comecem a enxergar, que apenas o estado é capaz de dar solução a determinadas crises”. Horas depois, o nome de Lula reaparece nas redes para pedir desculpas pelo trecho “totalmente infeliz” de sua entrevista, quando falava que “a natureza criou esse monstro chamado coronavírus”. Pelo restante atrapalhado da mesma entrevista, que fazia lembrar discursos de improvisos de sua sucessora Dilma Rousseff, Lula não se desculpou. Achou que estava de bom tamanho – e Janja havia gostado.  

 
 

Espalhe amor

A modelo e atriz Cara Delevingne, 27 anos está mais uma vez à frente da campanha Puma, que traz como carro chefe tênis de sola alta e tem tons fluorescentes. Delevingne  exibiu corpo esbelto pouca maquiagem, e muita naturalidade segurando grandes barras circulares. Solteira, uma das modelos mais requisitadas, saiu em defesa de sua ex-namorada Ashely Benson, depois que foi vista com um suposto affair, dias depois do final do namoro. “É mais importante mais agora do que nunca espalhar amor, não ódio. Para todo mundo que odeia @ashleybenson, por favor, pare. Você não sabe a verdade, só ela e eu sabemos e é exatamente assim que deve ser”.

Tropa

Nada menos do que 2.897 militares integravam em março o governo Bolsonaro, dos três ramos das Forças Armadas, número que deve ter crescido muito mais, como o de infectados pela Covid-19, porque só o general Eduardo Pazuello levou nove militares para trabalharem com ele no Ministério da Saúde. A presença de militares no governo, especialmente nos de primeiro escalão, encontra problemas administrativos de salários. O limite pra servidores é de R$ 39 mil, mas os militares reivindicam que o teto seja aplicado separadamente sobre os rendimentos dos que recebem, além do salário de carreira, gratificação pela função que exercem.

In – Quiche Lorraine
Out – Quiche de Brócolis

 
 

Alívio

A saída de Nelson Teich do Ministério da Saúde foi um alívio ao Planalto. Ele não se cansava de dizer “Estou tentando entender o que acontece”. Para Augusto Heleno, da GSI, “ele não estava confortável no cargo”, mas o general Eduardo Pazuello considerou o pedido de demissão “honesto e patriótico”. À propósito de Pazuello: ele também bate continência para Bolsonaro.

Estado de sítio

A Presidência da República estaria retomando estudos para uma possível decretação de estado de sítio no país. O assunto volta à discussão devido ao agravamento da crise institucional e anseios de Bolsonaro de resolvê-la de forma radical. O dispositivo de exceção daria a ele prerrogativas para suprir poderes do Legislativo e Judiciário e governar com um grau de absolutismo sem precedentes na história recente do país, tendo as Forças Armadas, supostamente, a seu lado. E tudo respaldado para Constituição.

GOLPE

Se Bolsonaro decreta estado de sítio, poderia, de saída, se sobrepor a estados e municípios e suspender de imediato a quarentena em todo Brasil, que seria um gesto bem representativo de suas reais intenções. O estado de sítio poderia servir apenas como uma demonstração de força de Bolsonaro, impondo uma derrota pontual e cirúrgica a governadores e prefeitos a ser a semente de um golpe escalonado. Ele teria um instrumento para avançar sobre os demais Poderes e criar condições para a estocada final. O estado de sítio seria, portanto, o primeiro degrau para o golpe.

Conselho

Para decretar o estado de sítio, Bolsonaro tem que passar pelo Conselho de Defesa Nacional. Nele, além do próprio presidente, estão Hamilton Mourão, ministro Fernando Azevedo, além dos comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica. Completam o colegiado aos ministros Paulo Guedes, Ernesto Araújo e André Mendonça, além dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia e do Senado, Davi Alcolumbre. Único senão: a resistência pode estar na caserna.

ARROZ E FEIJÃO

O bolsonarista Luciano Hang, que teve lojas lacradas (ele tem 126 em 17 estados brasileiros, em cidades pequenas e médias) por desobedecer ordens de comércio fechado, está vendendo arroz e feijão nas mesmas lojas (produto de “primeira necessidade”) e mantendo as portas abertas. “São serviços essenciais como manda a lei”. Luciano entrou, este ano, na lista dos bilionários brasileiros da revista Forbes com uma fortuna de R$ 2,2 bilhões.

Baixa patente

Militares de baixa patente que votaram em massa em Bolsonaro e que constituem a ampla maioria de contingente da Forças Armadas estão divididos em relação a seu governo e em relação a voltar a apoiá-lo nas próximas eleições presidenciais. Eles dizem que nos quartéis a maciça maioria de soldados, cabos, tenentes e sargentos rejeita a bandeira da intervenção militar para fechar o Congresso e o Supremo, defendida por grupos de bolsonaristas minoritários e radicais.

Quebrada

A atriz Regina Duarte descobriu à duras penas que Brasília não é para amadores. A Cinemateca Brasileira, em São Paulo, está mais que quebrada, salários atrasados e sem condição de manter a preservação de suas peças audiovisuais (não tem nem cola para emendar filmes). É mantida pelo governo federal e o salário de Regina será de R$ 10,3 mil, um quinto do que tinha na Globo até assumir a Secretária da Cultura. O orçamento é de R$ 12 milhões gastos em salário, água e energia. Não sobra nem para o cafezinho.

TERCEIRIZADA

A gestão da Cinemateca Brasileira que funciona num antigo prédio de 1884 onde estava o último matadouro da cidade de São Paulo, é terceirizada para a Associação Roque Pinto. Foi fundada em 1884, reúne o maior acervo da América do Sul, tendo nada menos do que 200 mil rolos de filmes. Detalhe: Regina, por sua história, não é uma atriz ligada ao cinema, mais à TV e de vez em quando, ao teatro.

MISTURA FINA

  • ENQUANTO Bolsonaro diz que o general Eduardo Pazuello “vai ficando” no Ministério da Saúde, sua suposta efetivação já tem três grandes opositores: Carlos, Eduardo e Flávio Bolsonaro. O que colabora com a resistência, é o jeito de trabalhar de Pazuello: ele esqueceu que a tropa é outra e que ele não é o comandante total dela.
  • OS prefeitos da Baixada Fluminense cobram do governador Wilson Witzel a instalação de um segundo hospital de campanha na região. Alegam que a unidade já prevista para Duque de Caxias não vai dar nem para saída. O município concentra o segundo maior número de casos de coronavírus em todos o estado, atrás apenas da capital.
  • NA despedida de Regina Duarte de Brasília, ao lado de Jair Bolsonaro, ele condecorou a si mesma com um gesto que não poderia ser mais insólito. A ex-secretária da Cultura (dois meses e meio, incluindo namoro) bateu continência ao Capitão.
  • A CHANCE de Regina Duarte retomar seu contrato é muito difícil já que não há nenhum papel para ela à vista. Muita gente não sabe que Regina, que trabalhou 50 anos na Globo, tem na emissora uma filha, Gabriela e que não será afetada pela saída da mãe. Gabriela começou em 1989 na novela Top Model. Salário atual: R$ 15 mil – no ar ou no ócio.
  • OS efeitos da pandemia sobre o setor da aviação vão muito além do transporte de passageiros. A movimentação aérea de cargas, segundo a Anac, vai fechar o mês de maio com uma queda de 70% em relação ao mesmo período do ano passado.
  • O MUNDO superou 2 milhões de pessoas curadas esta semana, mas ainda de 2,7 milhões de pessoas doentes. A notícia boa fica por conta de que 98% delas apresentam apenas infecções leves.
  • OS clubes da Série C e D do Campeonato Brasileiro estão pedindo nova ajuda financeira À CBF. Os R$ 200 mil distribuídos pela entidade em abril não deu nem para saída. A maioria dos clubes está com salários dos jogadores atrasados e pagamento impostos igualmente atrasados. Bem diferente da CBF que tem mais de meio bilhão de reais em caixa.
  • HOJE, os brasileiros realizam cerca de 40 mil pagamentos por minuto com seus cartões de crédito, débito e pré-pagos, totalizando R$ 850 bilhões, transacionadas apenas no primeiro semestre deste ano, segundo dados da Abecs, que representa o setor.

Felpuda


A tal estratégia de jogar informações nas redes sociais com objetivo de prejudicar adversários está começando a gerar reações. Uma dessas figurinhas vai ter de explicar, na Justiça, o por quê de postagem trazendo suspeitas pesadas contra cabeça coroada, que não gostou nadica de nada de ver o seu nome sendo usado como “bucha de canhão” para fins eleitoreiros. Vem chumbo grosso por aí! E sai debaixo!...