Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

PREVENÇÃO

Dia Nacional da Mamografia:
conheça os principais exames

5 FEV 19 - 16h:44AGÊNCIA BRASIL

Dia 5 de fevereiro é o Dia Nacional da Mamografia, data criada para reforçar a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama. O rastreamento faz toda diferença no tratamento e pode salvar vidas: quando detectada precocemente, a doença tem até 95% de chances de cura.

De acordo com Marcela Balaro, especialista em radiologia no Instituto Nacional do Câncer (Inca) e médica coordenadora de Imagem Mamária do Richet Medicina & Diagnóstico, não existe um consenso mundial sobre a idade e a periodicidade dos exames para a investigação do câncer de mama nas mulheres assintomáticas. No Brasil, o Ministério da Saúde recomenda que mulheres entre 50 e 69 anos façam mamografia a cada dois anos. Já a Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda a mamografia a partir dos 40 anos, anualmente. 

Diagnóstico

O principal método para diagnóstico do câncer de mama é a mamografia digital, que identifica lesões muito pequenas, muitas vezes não palpáveis. O exame funciona como uma radiografia da mama e o equipamento utiliza radiação de baixa energia (Raios-X)

A compressão da mama é necessária porque melhora a qualidade da imagem, permitindo que todos os tecidos fiquem totalmente visíveis. "Apesar do desconforto, a compressão é rápida e não gera qualquer lesão na mama, sendo imprescindível para o diagnóstico preciso", esclarece Marcela.

Na ultrassonografia das mamas, as imagens são formadas por ondas sonoras de alta frequência, sem o uso de radiação ionizante. Ao contrário da mamografia digital, este exame não gera desconforto ao paciente. "É uma importante ferramenta complementar à mamografia e à tomossíntese mamária no rastreamento do câncer de mama, principalmente nas pacientes com mamas densas, pois a densidade mamária não altera a sensibilidade desse exame", explica.

Por isso, a ultrassonografia permite diferenciar nódulos sólidos de cistos, o que é fundamental para definir o diagnóstico das doenças mamárias.

A tecnologia mais recente no diagnóstico do câncer de mama é a tomossíntese mamária, que possibilita a visualização tridimensional (3D) da mama. O exame permite o diagnóstico precoce com menor exposição à radiação, utilizando um tubo de raio-x em movimento para captar imagens mais finas e em diferentes ângulos. 

"O posicionamento e a compressão são os mesmos da mamografia digital, podendo os dois exames serem realizados ao mesmo tempo", revela a médica. A técnica vem ganhando destaque porque contribui para a diminuição do número de falsos positivos e de "call backs", casos em que mulheres precisam refazer o exame.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Prevenção contra o câncer tem sobra de vagas pelo SUS
OUTUBRO ROSA

Prevenção contra o câncer tem sobra de vagas pelo SUS

SEGUE PARA SANÇÃO

Senado aprova projeto que obriga SUS a fazer exames de câncer em 30 dias

Exame para identificar vírus Zika é comercializado no país
SAÚDE

Exame para identificar vírus Zika é comercializado no país

BRASIL

Hospitais brasileiros testam robô que usa inteligência artificial contra sepse

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião