Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

SAÚDE

Cochilar após o almoço pode reduzir risco de infarto, diz estudo

3 SET 15 - 01h:00topnews

Você que morre de sono no trabalho após o almoço, calma... Isso pode mudar! Um estudo revelou que tirar um cochilo pode reduzir o risco de infarto!

A pesquisa, realizada por cientistas gregos, comprovou que a conhecida sesta pode ajudar e muito na redução da pressão sanguínea, prevenindo assim uma possível parada cardíaca.

"Churchill (Winston Churchill, ex-primeiro-ministro britânico) afirmava que tinha de fazer uma sesta entre o almoço e o jantar. Já Thatcher (Margaret Thatcher, ex-primeira-ministra britânica) dizia que em torno das três da tarde não deveria ser molestada", disse o líder das pesquisas, o cientista Manolis Kallistratos, em entrevista à BBC.

O trabalho foi apresentado no Congresso Europeu de Cardiologia, realizado em Londres. Os resultados logo repercutiram positivamente pelo mundo. "Ambos (Churchill and Tatcher) tinham razão. Segundo o nosso estudo, dormir ao meio-dia reduz a pressão arterial e pode diminuir o número de medicamentos necessários para os hipertensos”, continuou Kallistratos.

Para o levantamento foram realizados testes em 400 pacientes com média de idade de 61,4 anos. Cada um deles teve sua pressão medida durante as horas em que trabalhava e também nas 24 horas em que esteve no ambulatório.


Além disso, também foram avaliados a velocidade de onda de pulso, o índice de massa corporal (IMC) e os hábitos de vida de cada um. Todos passaram por exames ecocardiogramas. Ao fim do estudo, foi mostrado que a pressão arterial ambulatória era 5% menor nos pacientes que tiravam o cochilo em relação aos que não dormiam.

A pressão sistólica dos pacientes que realizavam a sesta foi 4% menor quando estava acordados (5mmHg) e e 6% menor (7 mmHg) ao longo da noite, em comparação com os pacientes que não descansaram após o almoço.

“Apesar do número parecer baixo, devemos lembrar que uma redução de 2 mmHg na pressão arterial sistólica pode reduzir o risco de eventos cardiovasculares em até 10%", completou o cientista.

 
A duração do cochilo também foi levada em consideração. Os pacientes que dormiram por uma hora tiveram uma pressão sistólica ambulatória menor do que os que descansaram 17 minutos a menos. "Nosso estudo demonstra que a sesta não só está associada a uma menor pressão arterial, mas também que, quanto mais longa ela é, mais benéfico será o descanso", disse Kallistratos.


"A sesta ao meio-dia está associada à menor pressão arterial durante um período de 24 horas, a uma maior redução da pressão durante o descanso à noite, e menos danos às artérias e ao coração. E quanto mais longa for a sesta, menor serão os níveis da pressão arterial sistólica e também provavelmente a quantidade de medicamentos necessária para regular a pressão", acrescentou.


Após comprovar o benefício da sesta ao meio-dia, os cientistas estudam meio para incorporar a prática na rotina de trabalho das pessoas pelo mundo.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Pesquisadores querem saber se vírus mayaro está em circulação no Rio
SAÚDE

Pesquisadores querem saber se vírus mayaro está em circulação no Rio

Campanha busca aumentar em 15% doações de leite materno
SAÚDE

Campanha busca aumentar em 15% doações de leite materno

SAÚDE

No Brasil, taxa de infecções hospitalares atinge 14% das internações

A 15 dias do fim da campanha, 329 mil ainda não se vacinaram contra a gripe
GRIPE

A 15 dias do fim da campanha, 329 mil não se vacinaram

Mais Lidas