SAÚDE

Cientistas descobrem como funciona o gene da obesidade

Cientistas descobrem como funciona o gene da obesidade
22/08/2015 03:00 - gcn


 

Uma pesquisa realizada por cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e da Universidade de Harvard foi publicada na quarta-feira (19) no site da revista New Englad Journal of Medicine e traz descobertas sobre como o gene ligado à obesidade faz as pessoas ficarem gordas.

Experimentos revelaram que um defeito no gene faz com que a energia produzida pelos alimentos seja armazenada como gordura e não seja queimada. O problema foi revertido em camundongos e manipulação de células humanas em laboratório, o que dá brecha para a criação de um remédio que faça o mesmo.

Melina Claussnitzer, especialista em genética e líder do estudo, disse que os resultados podem quebrar o paradigma de que quando as pessoas ficam obesas, foi por própria escolha porque elas escolheram comer muito ou não se exercitar. “Pela primeira vez, a genética revelou um mecanismo na obesidade de que nunca havíamos suspeitado antes”.

“Muitas pessoas pensam que a epidemia de obesidade só está relacionada a comer muito, mas nossas células de gordura têm um papel em como nossa comida é utilizada”, disse o médico e cientista Clifford Rosen. O próximo passo é o desenvolvimento de uma droga que faça as células de gordura trabalharem de forma diferente.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".