PROJETO

Vereadores estudam reduzir salários para R$ 980

Prefeito, vice-prefeito e secretários também poderão ter menores valores
02/09/2015 12:44 - KLEBER CLAJUS


 

Projeto de lei pretende reduzir salários de prefeito, vice-prefeito, secretários e vereadores em Guia Lopes da Laguna, a 234 quilômetros de Campo Grande. A medida tem por objetivo combater os chamados “políticos profissionais”, além de colaborar na redução de despesas no município.

Ademir Souza Almeida (DEM) esclareceu que a proposta ainda se encontra em análise na Câmara Municipal, porém conta com o aval e autoria conjunta de seis dos nove vereadores. “Notamos a necessidade de renovação e somos contrários as pessoas que buscam na política se estabelecer como se fosse uma profissão”.

Se aprovados, os novos valores entram em vigor a partir de 2017. A alteração ocorrerá no holerite de prefeito (R$ 16 mil para R$ 11 mil), vice-prefeito (R$ 8 mil para R$ 5 mil), secretários municipais (R$ 6 mil para R$ 3 mil) e vereadores (R$ 3,4 mil para R$ 980).

Além do democrata, fazem parte do grupo proponente os vereadores Sérgio Fragoso (PP),  Cleonete Moreno (DEM), Marlon Barbosa (DEM), Gilberto Ferreira (PT) e o presidente da Casa de Leis, Rodrigo de Arruda (PMDB). Destes, somente Arruda desempenha segundo mandato.

Outra proposta, realizada ao prefeito por liminar Jácomo Dagostin (PMDB), sugere que este reduza em 50% seu salário, tendo por exemplo o governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".