Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 13 de novembro de 2018

eleição tacuru

Vendedor de espetinho é investigado
por compra de votos

Policiais civis encontraram R$ 1.934 com comerciante

4 JUN 2017Por RODOLFO CÉSAR18h:39

Compra de votos está sendo apurada pela Polícia Civil de Tacuru depois que investigadores identificaram vendedor de espetinhos na cidade com R$ 1.934,00 e ao lado do comércio dele, material de campanha e santinhos.

A averiguação do crime eleitoral começou logo pela manhã de hoje. Na cidade há eleição suplementar porque o pleito realizado em outubro do ano passado foi anulado.

Denúncia feita a policiais civis informaram que ponto de venda de espetinho perto da rodoviária seria o local onde haveria a compra de votos. 

Investigadores foram até o local, mas de manhã não encontraram movimentação suspeita. Houve monitoramento ao longo do dia e por volta das 16h40 deste domingo os policiais pegaram R$ 1.934 com comerciante de 36 anos. O volume de dinheiro não seria compatível com o tipo de negócio. Além disso, o total estava dividido em notas de valor alto e o produto vendido na barraca custa R$ 3,50.

"Ao lado do ponto comercial, junto a ele, estava um veículo cheio de material de campanha", informou boletim de ocorrência. Duas pessoas foram abordadas e nenhuma delas soube explicar a origem do dinheiro e dos santinhos. Os dois foram levados para Delegacia de Polícia de Tacuru e o material apreendido.

Além do comerciante, o outro homem, de 50 anos, também vai responder por crime eleitoral. O B.O foi registrado pelo delegado Mikaill Alessandro Gouvea Faria.

ELEIÇÃO INVALIDADA

A chapa de Claudio Rocha Barcelos (PR) e Adailton de Oliveira venceu a eleição em outubro de 2016, mas os votos foram considerados nulos depois de julgamento que indeferiu o registro de candidatura deles.

Houve recurso e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) analisou o pedido em abril, seguindo a sentença de 1ª instância e, assim, anulando a votação do ano passado.

Adailton de Oliveira, que era vice na chapa com Claudio Barcelos, foi condenado por compra de votos. A cidade tem mais de 7 mil eleitores e Barcelos havia obtido 2.737 votos.

Na atual eleição, concorreram à prefeitura o ex-presidente da Câmara e prefeito interino Paulo Sérgio de Lopes Mello (PP) e Carlos Alberto Pelegrini (PMDB).

Quem venceu a disputa foi Carlos alberto Pelegrini, que obteve 2.672 votos (51%), contra 2.567 (49%) obtido por Paulo Sérgio.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também