Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

EDUCAÇÃO

Universitários protestam contra escolha de reitora na UFGD

Anúncio do MEC ignorou listra tríplice na eleição para instituição

17 JUN 19 - 11h:07RAFAEL RIBEIRO

Membros da comunidade acadêmica da Universidade Federal da Grande Dourados se reuniram na unidade na manhã desta segunda-feira (17) para realizar um “abração” em protesto à designação do Ministério da Educação, que nomeou a reitora interina Mirlene Ferreira Damazio para a função de reitora da instituição. As informações são do portal 'Dourados News'.

Eles classificam a medida como 'intervenção', justificando que a designação fere o princípio da autonomia universitária, já que o nome da pedagoga não constava na lista tríplice encaminhada ao MEC. Inclusive, a lista segue em judicialização sob acusação do Ministério Público Federal) de comprometimento da lisura aplicada para seleção dos candidatos no Colégio Eleitoral.

Durante o ato, manifestantes lotaram a entrada da reitoria de balões alaranjados e faixas com dizeres de rejeição à reitora interina. No ato foi aberto espaço para falas. Segundo o portal, os discursos combativos ao conservadorismo, em defesa da democracia universitária e cobrando rispidamente que fosse respeitada a autonomia da universidade.

Em seguida eles seguiram para o pátio e realizaram o ‘abraço’ com gritos: “Fora Mirlene”, “Reitor eleito é reitor empossado”, “Fora Golpista”, “Não, não, não à intervenção” e “Mirlene, preste atenção, pra ser reitora tem que ganhar eleição (sic)”. 

O candidato eleito na consulta prévia e no Colégio Eleitoral, Etienne Biasotto, comentou o ato dos manifestantes. Segundo ele, a ação representa claramente a insatisfação da universidade com a decisão “autoritária” do MEC.

Ele explicou que, considerando a ausência da reitora interina na lista tríplice, a nomeação se configura como intervenção.

Etienne aponta Mirlene como apoiadora da chapa 2, liderada por Joelson Pereira, derrotado na consulta prévia. Em imagens mostradas à reportagem, a pedagoga é identificada em várias reuniões realizadas pelo grupo durante as articulações para eleição da comunidade acadêmica. 

“A professora Mirlene é diretamente ligada à chapa 2. É uma intervenção e a comunidade não aceitam essa intervenção. Ela inclusive votou em mim na eleição do Colégio Eleitoral, após a derrota da chapa na consulta prévia, tenho vídeo disso”, disse. 

O 'Dourados News' buscou contato com a reitora interina, porém, segundo a assessoria de comunicação da universidade, ela cumpria agenda e não poderia se posicionar.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Ônibus escolar que saiu de MS é apreendido com maconha no PR
QUASE UMA TONELADA

Ônibus escolar que saiu de MS é apreendido com maconha

Trecho da Avenida Calógeras será interditado para obra do Reviva
REVIVA CAMPO GRANDE

Trecho da Avenida Calógeras será interditado para obras

Número de eleitores cadastrados por biometria chega a 62,80% em MS
TSE

Cadastro biométrico chega a 62,80% do eleitorado em MS

Rodovia que liga Brasil e Paraguai será concluída em 2022
CORREDOR BIOCEÂNICO

Rodovia que liga Brasil e Paraguai
será concluída em 2022

Mais Lidas