CASO PASSIONAL

Uma de 1,6 mil vítimas de violência doméstica na Capital, florista é baleada por ex-namorado

Após crime ele tentou tirar a própria vida
18/01/2020 11:33 - FÁBIO ORUÊ


 

Sendo uma das 1.679 vítimas de violência doméstica em Campo Grande, uma florista de 39 anos foi baleada pelo ex-namorado ao chegar para trabalhar, na manhã deste sábado, no bairro Carandá Bosque, em Campo Grande. Após dar três tiros na mulher, ele ainda tentou tirar a própria vida. Ambos estão vivos. 

Segundo informações repassadas por testemunhas, que são próximas à vítima e não quiseram se identificar, ela havia terminado com o homem, que tem 57 anos, há pouco tempo e ele não estava aceitando a situação, o que teria motivado o crime. Anteriormente, ela já teria sido vítima de violência doméstica praticada pelo autor.  

De acordo com o que relatam funcionários da empresa de flores que a moça trabalha, por volta de 8h30 ela estava chegando para trabalhar e ao descer de seu carro, um GM Corsa Sedan, ele estava descendo, a pé, a Rua Vitório Zeola. Neste momento, um funcionário estava atravessando a rua e viu a arma, que seria um revólver calibre .38, na mão do homem. Por isso, teria colocado os outros colaboradores dentro de uma Van para sair do local.

O ex-namorado atingiu a vítima com um tiro de raspão na clavícula, um no ombro e um no braço e atirou contra a própria cabeça. Ambos foram resgatados pelo Corpo de Bombeiros e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhados para a Santa Casa. 

Segundo a assessoria do hospital, ela passa por cirurgia e seu estado é instável. Já o homem está “acordado e agitado” e com ferimento de arma de fogo na região do ouvido, sendo avaliado pelo setor de tomografia. 

Se o crime de feminicídio fosse consumado, a florista seria a primeira vítima de feminicídio de Campo Grande em 2020 - e terceiro em Mato Grosso do Sul -, já que não há registro deste crime na cidade. 

Já em 2019, conforme mostram dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança (Sejusp), foram 30 feminicídios em todo o Mato Grosso do Sul, sendo cinco na Capital. Já os registro de violência doméstica somam 5.158 em MS e 27% - exatos 1.628 - dos casos são em Campo Grande. Neste ano foram registrados, até ontem (17), 51 casos.

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".