OPORTUNIDADDE

UEMS abre concurso para professores; são 13 vagas e salário chega a R$ 8,6 mil

UEMS abre concurso para professores; são 13 vagas e salário chega a R$ 8,6 mil
05/09/2018 08:55 - Eduardo Miranda


A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) abriu concurso para a contratação de professores das áreas de Ciência da Computação e Matemática (bacharelado e licenciatura) e Pedagogia. O salário é de R$ 8.698,87 para as 11 vagas para professores com doutorado e carga horária de 40 horas. Há duas vagas para professores com mestrado, cuja carga horária é de 20 horas, e o salário é de R$ 3.086,31. São 13 vagas ao todo. 

Para a cidade de Nova Andradina, estão disponíveis duas vagas para os cursos de Ciência da Computação, uma para Matemática e outra para Ensino de Matemática. Para o campus de Paranaíba, são duas vagas são para o curso de Pedagogia I e outras duas para Pedagogia II. No campus de Ponta Porã, são cinco vagas: duas para a área Administração I (20 horas), uma para Administração II (40 horas), e duas para Ciências Econômicas (40 horas).    

PROVAS E TÍTULOS

A seleção é de provas e títulos, e as inscrições estão disponíveis a partir de hoje, e seguem até o próximo dia 5 de outubro. A taxa de inscrição é de R$ 214,72. As provas escritas serão realizadas em Dourados, em 27 de novembro. Serão três etapas: prova escrita, prova didática e prova de títulos. 

Não há banca organizadora. O concurso é planejado e organizado pela própria universidade. As inscrições serão feitas no site de concursos da UEMS na internet, e o pagamento, por meio de transferência bancária.

Confira o edital abaixo:


smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".