Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESTADUAL 2019

Dupla é presa por vender ingressos falsos para a final

Águia Negra anunciou a suspensão da venda de bilhetes para decisão
17/04/2019 08:14 - RAFAEL RIBEIRO


 

Dois homens foram presos pela Polícia Civil de Rio Brilhante na terça-feira (16) acusados de venderem ingressos falsos para a decisão do Estadual 2019, que acontece neste domingo (21), entre Águia Negra e Aquidauanense. O time rubro-negro tem vantagem para chegar ao terceiro título em sua história, após vencer o Azulão, fora de casa, por 2 a 1 no primeiro jogo. Um terceiro envolvido no crime está foragido.

Segundo a polícia, a denúncia foi feita por um comerciante da cidade, procurado pelos falsários para comprar uma carga de bilhetes por R$ 10, preço abaixo do oficial, que é de R$ 20. 

Os investigadores descobriram que um funcionário da gráfica onde eram impressas as entradas estava envolvido. Ele aproveitou o maquinário para confeccionar um número superior à carga encomendada pelo clube, de 3.200 ingressos.

Dois dos falsários foram presos pela polícia e indiciados por associação criminosa e estelionato. Um terceiro está foragido, já que se mudou para Joinville (SC).

Em nota, o Águia Negra informou a suspensão da venda de ingressos por tempo indeterminado. Uma nova gráfica será contratada para a impressão dos novos bilhetes e quem adquiriu as entradas antigas poderá trocá-las assim que for anunciado o início das vendas.

Segundo o clube, os torcedores devem ficar atentos com entradas cuja numeração está acima de 3.201, conforme foi encontrado com os acusados. 

Felpuda


As pré-candidaturas bizarras estão se espalhando nas redes sociais, nos perfis de quem acredita que esse tipo de “campanha eleitoral” poderá resultar em votos e até levar à conquista de uma vaga na Câmara Municipal de Campo Grande. Se antes isso era visto apenas no horário eleitoral na TV, agora está se espalhado como erva daninha nas redes. Como diria vovó: “Esse povo ainda se acha!” Afe!