Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sábado, 17 de novembro de 2018

TRÊS LAGOAS

Comércio de Três Lagoas demite 162 funcionários

Mesmo com desenvolvimento industrial, Três Lagoas não escapou da crise

7 AGO 2015Por GISELE MENDES, DE TRÊS LAGOAS15h:47

A crise econômica que o Brasil atravessa reflete nas vendas do comércio de Três Lagoas (MS) - distante 338 km da Capital, e consequentemente, na geração de emprego. O município, que tem o primeiro PIB do Estado, e é conhecido por seu acelerado desenvolvimento industrial, não conseguiu escapar dos reflexos da crise.

Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mostram que 162 funcionários que atuavam no comércio do município perderam seus empregos. As vendas despencaram em 30% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado.

De acordo com Atílio D´Agosto, presidente da ACI-TL (Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas), além da crise nacional o município ainda se recupera do calote da Petrobras, que paralisou as obras da FAFEN (Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados) no ano passado, deixando dívida milionária e a demissão de mais de 10 mil trabalhadores nos 12 meses de 2014.

O presidente destacou que alguns empresários demitiram mais de um funcionário, como forma de contornar a crise. “Infelizmente, esse é um período em que eles são forçados a enxugar o orçamento para evitar transtornos maiores, como o fechamento da empresa, por exemplo”, explicou.

Apesar desse agravante, D´Agosto acredita que o comércio conseguirá se recuperar entre o final deste ano e começo do ano que vem. As expectativas dos comerciantes vêm das datas comemorativas – Dia dos Pais, Dia das Crianças e o Natal. “Essas datas darão um novo fôlego para os comerciantes e no final do ano o fechamento das vendas deve ser melhor”, disse destacando que as ampliações das fábricas de celulose, Fibria e Eldorado Brasil, também devem aquecer o comércio a partir do ano que vem, quando o município passará a ganhar novos moradores. 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também