Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESTRADAS

Trechos da BR-163 em MS operam em pare-e-siga

Confira os trechos com alterações
23/07/2019 12:09 - DA REDAÇÃO


Saiba os trechos da BR-163/MS onde a CCR MSVia realiza obras e serviços de melhoria. Nesses locais, a Concessionária implanta as operações pare-e-siga, bem como desvios no tráfego.

O Serviço de Atendimento ao Usuário – SAU da Concessionária alerta aos motoristas que reduzam a velocidade na aproximação dos trechos, mesmo com a sinalização efetiva, pois operários trabalham nas imediações da pista. Ainda, pequenos congestionamentos podem se formar nesses locais devido às interdições parciais.

Pontos com desvios no tráfego:

Rio Verde de Mato Grosso - entre os kms 682 e 680;

São Gabriel do Oeste - no km 603;

Jaraguari - entre os kms 506 e 505;

Rio Brilhante - entre os kms 344 e 343;

Dourados - entre os kms 266 e 265, e no km 236.

Pontos com pare-e-siga:

Coxim - entre os kms 766 e 765;

Bandeirantes - entre os kms 560 e 559;

Campo Grande - no km 452;

Dourados - no km 239;

Juti - entre os kms 162 e 160;

Naviraí - entre os kms 144 e 142; 

Eldorado - entre os kms 65 e 63. 

Todos os trechos estão sinalizados. Em caso de chuvas, as obras serão suspensas.

A CCR MSVia alerta que o cronograma de obras e serviços é dinâmico, ou seja, outros pontos de intervenção com pare-e-siga ou desvio de tráfego podem ocorrer ao longo do dia. Acompanhe a evolução da situação de tráfego da BR-163/MS por meio do site www.msvia.com.br em tempo real, ou ligue para o Disque CCR MSVia pelo 0800 648 0163 (ligações gratuitas, inclusive para celulares).

 

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.