Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

OPERAÇÃO BOCAIÚVA I

Traficantes de papagaio estão na mira da PMA e Ibama

Operação é realizada devido ao período reprodutivo das aves

15 SET 19 - 17h:46GLAUCEA VACCARI

Por conta do período reprodutivo dos psitacídeos, que são aves como papagaio, arara, periquitos e maritacas, a Polícia Militar Ambiental (PMA) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) realizam a operação Bocaiuva I, contra o tráfico de animais silvestres, especialmente o papagaio, em Mato Grosso do Sul.

Conforme a PMA, na primeira fase da operação, iniciada na última quinta-feira (12), o foco principal é evitar a retirada dos filhotes dos ninhos. Isto porque, depois da retirada das aves, mesmo quando há apreensão, problemas à natureza, cuidados dos animais e reintrodução ao habitat envolvem muito dinheiro público.

O tráfico de animais silvestres é considerado a terceira atividade criminosa mais rentável, perdendo apenas para o tráfico de drogas e o tráfico de armas. No Estado, o problema se resume quase que especificamente ao papagaio, que costuma ser retirado enquanto filhote devido ao comprador da espécie se interessar pela capacidade que a ave tem de aprender a imitar a voz humana.

Período considerado mais perigoso e com maior ocorrência de tráfico da espécie é entre agosto e dezembro, que é o período reprodutivo dos papagaios, animal mais traficado no Estado.

Para evitar a retirada dos papagaios dos ninhos, ninhos estão sendo monitorados e as saídas do Estado estão sendo fechadas com bloqueios.

A região principal monitorada é a que constitui os municípios próximos às divisas com os estados de São Paulo e Paraná, como Jateí, Batayporã, Bataguassu, Ivinhema, Novo Horizonte do Sul, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo, Nova Andradina, Três Lagoas e Brasilândia, além de Naviraí, Itaquiraí, Eldorado e Mundo Novo, porém, a operação está sendo realizada em todo o Estado.

Também são feitas operações preventivas nas propriedades rurais, para prevenir a retirada dos animais e aliciamentos de funcionários de fazendas e assentados pelos traficantes.

APREENSÕES

Em um dos bloqueios realizados, em Novo Horizonte do Sul, homem foi preso por porte ilegal de arma de fogo. O infrator estava em uma motocicleta e, em sua cintura foi encontrada uma espingarda de caça, calibre .28 , além de quatro munições deflagradas e duas intactas do mesmo calibre, sem documentação.

Suspeito informou ter ido buscar a arma, que seria de sua propriedade, em uma assentamento, mas há suspeita que ele praticaria caça ilegal na região. Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil e a espingarda e munições foram apreendidas.

Também durante as ações da operação, homem de 52 anos foi preso e multado em R$ 750 mil após ser flagrado com 150 filhotes de papagaio ilegalmente, em quatro caixas de madeira, dentro de um Fiat Uno. Ele foi abordado por equipe da Polícia Militar na BR-267, em Bataguassu.

O infrator afirmou que pegou os papagaios nos ninhos em fazendas na região do Distrito de Casa Verde,em Nova Andradina e os levaria para venda no estado de São Paulo por R$ 100,00 cada ave.

Além da multa, ele foi detido e a PMA encaminhará as aves ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) na Capital.

 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Educação de MS é a nona melhor País em competitividade
RANKING NACIONAL

Educação de MS é a nona melhor País em competitividade

MEC divulga horário de provas do Enem em cada estado
EVITE ATRASO

MEC divulga horário de provas do Enem em cada estado

Crise do PSL trava projeto de reforma do Hotel Campo Grande, diz prefeito
PARADO

Crise do PSL trava projeto de reforma de hotel, diz prefeito

Prefeitura entrega novos ônibus e garante reforma de terminais em novembro
MAIS 20 VEÍCULOS

Prefeitura entrega novos ônibus e garante reforma de terminais em novembro

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião