Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

EM BRASÍLIA

Trad apresenta indicação para construção de Hospital Municipal

Prefeito e secretário de saúde se reuniram com ministro Mandetta

3 JUL 19 - 17h:33ALINE OLIVEIRA

Durante a agenda programada nesta quarta-feira (3), em Brasília (DF), o prefeito de Campo Grande, Marcos Marcello Trad e o secretário municipal de Saúde (Sesau), José Mauro Filho, conversaram com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. 

Na pauta, a apresentação de uma indicação para construção de um hospital municipal em Campo Grande, além de aumento nos recursos destinados para custeio e implementação de novos serviços em saúde pública. 

Conforme informado pelo chefe do Executivo Municipal, o projeto obteve boa receptividade junto ao ministro. O próximo passo é iniciar os levantamento de viabilidade econômica assistencial, para iniciar a construção do hospital e colocá-lo em pleno funcionamento. 

“É uma notícia extremamente importante. A melhoria da saúde é um dos principais anseios da população e prioridade na nossa gestão. Um hospital municipal  resolverá grande parte dos problemas enfrentados pela nossa Capital”, declarou o prefeito Marquinhos trad.

Durante o processo, também deve ser criado um comitê com a participação do Conselho Municipal de Sáude,  Ministério Público e de outras entidades, para que o projeto seja executado com a máxima transparência.

Campo Grande deve se espelhar no modelo implementado na capital mato-grossense, Cuiabá.  Na última semana, o secretário esteve visitando a estrutura do hospital municipal  Dr. Leony Palma de Carvalho, que conta com 315 leitos, sendo 178 de adultos, 20 leitos no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), 60 de UTI, 38 de emergência, 6 salas de cirurgia e 13 leitos de recuperação pós-anestesia (RPA), em um total de 21 mil metros quadrados de área construída.

OUTROS INVESTIMENTOS

Em abril deste ano, José Mauro Filho apresentou a indicação de doze projetos prevendo melhorias na pasta, durante primeira reunião com o ministro. O aumento do teto da Média e Alta Complexidade (MAC), de aproximadamente R$ 1,2 milhão para R$ 6 milhões mensais está entre os pedidos, bem como adequações, equipamentos, habilitação e qualificação de unidades de saúde.

A expectativa é de que no próximo dia 22, o ministro Luiz Henrique Mandetta cumpra agenda em Campo Grande, onde deve anunciar o atendimento a algumas demandas apresentadas pelo Município.

PROGRAMA NACIONAL

Campo Grande é a segunda cidade do País com o maior número de unidades habilitadas até o momento no programa  ministerial “Saúde na Hora”, ficando atrás somente do município de Fortaleza -CE, conforme portaria publicada pelo Ministério da Saúde.

O programa Saúde na Hora visa ampliar o acesso da população aos serviços da Atenção Primária, como consultas médicas e odontológicas, coleta de exames laboratoriais, aplicação de vacinas e pré-natal. 

A iniciativa amplia ainda os recursos mensais a municípios que estenderem o horário de funcionamento das unidades de saúde para o período da noite, além de permanecerem de portas abertas durante o horário de almoço e, opcionalmente, aos fins de semana.

*Com informações da Ascom Prefeitura de Campo Grande
 

 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Envolvimento de agentes de saúde pode acelerar diagnóstico de câncer

BRASIL

Tratamento para doenças raras precisa de investimentos em pesquisa

BRASIL

Motorista embriagado invade lanchonete, atropela 4 e mata jovem

Gaeco pede que juiz mantenha  prisão de policiais ligados a Name
MILÍCIA NA CADEIA

Gaeco pede que juiz mantenha prisão de policiais ligados a Name

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião