METEOROLOGIA

Termômetros registram 43°C em Aquidauana e onda de calor deve ter pico nesta quinta

Meteorologista explica que termômetros de rua podem sofrer variação
02/09/2015 17:45 - Glaucea Vaccari


 

A onda de calor que atingiu Mato Grosso do Sul nesta terça-feira (2) elevou as temperaturas, que se aproximaram dos 40°C nos municípios do norte e região do Pantanal e termômetros indicando 43°C em Aquidauana.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), apesar dos termômetros terem registrado os 43°C, a máxima registrada no município foi de 39,4°C. O índice de calor (sensação térmica) ultrapassou os 40°C.

O meteorologista Marcelo Scheneider disse ao Portal Correio do Estado que a divergência ocorre porque os termômetros de rua podem sofrer influências dependendo do ambiente em que estão localizados, por estar perto de asfalto ou prédios, por exemplo. Segundo o meteorologista, isso não significa que os termômetros sejam errados, mas podem apresentar diferenças de 2°C ou 3°C para mais.

De acordo com Scheneider, além de Aquidauana, as maiores temperaturas registradas nesta terça foram em Miranda (39,2°C) e Coxim (38,7°C). Na Capital, a máxima registrada foi de 35,9°C.

Para esta quarta-feira, a onda de calor deve se intensificar e a previsão é de mais calor e tempo seco, com temperaturas entre 17°C e 39°C, e índices de calor acima de 40°C. A umidade relativa do ar pode chegar a 15% durante a tarde, próximo aos índices de umidade do deserto.

Na Capital, os termômetros oscilam entre 22°C e 36°C, com sol entre poucas nuvens e névoa seca. A onda de calor deve se afastar gradativamente do estado a partir de sexta-feira, com pequenas possibilidades de chuvas isoladas no sul e sudoeste.  

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".