IGUATEMI

Moradores que tiveram casas danificadas por granizo receberão telhas da prefeitura

Chuva de granizo que atingiu o município causou muitos estragos
08/09/2015 17:34 - NILCE LEMOS


 

A prefeitura de Iguatemi, distante 466 km de Campo Grande, tenta reaver os estragos causados pela chuva de granizo que atingiu a cidade nesta segunda-feira (7) e deixou um rastro de destruição.

O prefeito José Roberto Felippe Arcoverde (PSDB) disse ao Portal Correio do Estado que foi feita a compra de 5 mil telhas de fibrocimento (eternit), de 5 milímetros, para atender os proprietários de casas de baixa renda que tiveram o telhado destruído. A compra foi decidida durante uma reunião com a Defesa Civil na manhã desta terça-feira (8), e segundo o prefeito, a entrega deve começar amanhã.

“Queremos começar a entrega das telhas o mais rápido possível, até porque tem previsão de chuva na quinta-feira, então temos que dar aos cidadãos um pouco da dignidade que eles merecem”, disse o prefeito.

Além das casas, comércios e escolas tiveram os telhados destruídos pela chuva, e conforme o prefeito, as atividades voltam ao normal amanhã. Haverá reposição de aula, já que algumas escolas não funcionaram.

Estima-se que os prejuízos sejam de R$ 1 milhão, valor que ainda será contabilizado, mas conforme o prefeito, além dos prejuízos públicos, há muito prejuízo particular, em casas, carros, antenas parabólicas, placas de aquecedor, portanto, esse valor não poderá ser exato.


 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".