EM DOURADOS E FÁTIMA

Suspeitos perseguem vítima por duas cidades para tentar matá-la

Crime teria sido motivado por questão passional
05/07/2017 15:55 - RODOLFO CÉSAR


 

O Núcleo Regional de Inteligência (NRI) da Polícia Civil confirmou a prisão de dois homens suspeitos de tentarem matar um homem de 26 anos na Orla de Fátima do Sul, na noite de sábado (1º). A vítima só não foi atingida por disparos porque fugiu para o meio do mato. Porém, o rapaz voltou a ser perseguido na madrugada de ontem (4) em Dourados e, desta vez, acabou ferido nos braços e pernas.

Os suspeitos da tentativa de homicídio são T.F.S, de 24 anos, e E.S.R, de 42 anos. A polícia divulgou apenas as iniciais.

A Força Tática da Polícia Militar também deu apoio para realizar a prisão dos dois homens, conforme divulgou o site Fátima em Dia.

O primeiro a ser preso foi E.S.R, que inclusive tinha fugido do sistema prisional. Ele estava com seis cápsulas intactas de munição calibre .38. Na casa dele também foram encontradas cápsulas deflagradas, certa quantia de dinheiro não divulgada e porções de maconha para serem comercializadas.

E.S.R prestou depoimento e confirmou a participação no crime de sábado e apontou que como comparsa teve T.F.S.

Os dois estavam em uma moto quando atiraram na vítima. Os disparos foram feitos em momento que havia mais pessoas na Orla de Fátima de Sul. Ninguém ficou ferido nesse caso.

A dupla só conseguiu encontrar o rapaz de 26 anos na madrugada de ontem em Dourados. Novamente houve tiros e a vítima foi atingida. O nome dele não foi divulgado e ele está internado no Hospital da Vida.

O outro suspeito, T.F.S, fora preso ontem por porte ilegal de munição e posse de entorpecente. A Polícia Civil apura as motivações e os primeiros indícios são de que houve o crime foi praticado por motivo passional.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".