PARANAÍBA

Suspeito de atirar contra bombeiro é identificado e continua foragido

Bombeiro foi atingido por cinco tiros, passou por cirurgia e estado de saúde não é grave
18/08/2015 17:05 - Glaucea Vaccari


 

O suspeito de atirar cinco vezes contra o soldado do Corpo de Bombeiros Fabrício de Lima Teixeira, 26 anos, na tarde de ontem (17), foi identificado como Elizeu José dos Santos, 33 anos. O bombeiro foi baleado enquanto atendia uma ocorrência de mal súbito em uma escola no bairro Santo Antônio, em Paranaíba, distante 413 quilômetros da Capital.

O delegado responsável pelas investigações, Francisco Antônio Moreira, disse ao Portal Correio do Estado que a própria vítima forneceu a identificação do suspeito. As motivações para o crime estão sendo investigadas e testemunhas estão sendo ouvidas. 

“Temos uma linha de investigação definida, mas não vamos nos pronunciar a respeito para não atrapalhar o trabalho policial”, disse o delegado.

Enquanto o soldado atendia a ocorrência, o suspeito, que estava em uma motocicleta Biz, efetuou seis disparos e fugiu em seguida. Um dos tiros atingiu a viatura de resgate dos bombeiros. Equipes do Grupo Especializada de Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros (Garras) de Campo Grande estão em Paranaíba ajudando nas investigações e na procura pelo suspeito.

O soldado foi socorrido pelos colegas e encaminhado à Santa Casa do município. Inicialmente a informação era de que os disparos teriam atingido a cabeça, abdômen e perna do soldado, mas conforme os bombeiros, ele foi atingido na face, braços esquerdo e direito, região pélvica e coluna cervical.

Durante a noite, a vítima foi transferida para a Santa Casa de Campo Grande, onde passou por cirurgia. Conforme a assessoria de imprensa do hospital, o soldado está na enfermaria, consciente e orientado, e o estado de saúde não é considerado grave.  

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".