RISCO À SAÚDE

Supermercado é autuado por vender produtos vencidos na Capital

Também foi constatada irregularidade em embalagens e armazenamento
13/06/2019 14:46 - GLAUCEA VACCARI


 

Um supermercado localizado no bairro São Jorge da Lagoa foi autuado pela Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon) por expor a venda produtos com o prazo de validade vencido e outras irregularidades, em Campo Grande.

Fiscalização foi realizada após o Procon receber denúncias de consumidores. No estabelecimento, que fica na rua Fátima do Sul, fiscais encontraram 341 tabletes de caldo de galinha e legumes com a validade expirada em janeiro deste ano.

Também estavam à venda com validade vencida ingredientes para feijoada, iogurtes, 17 embalagens de biscoitos, 22 garrafas de água gaseificada, 12 latas de cerveja, bisnaguinhas, 17 unidades de bolos de copo, tubaína, massa para tapioca, leite condensado e ração para cachorros.

Procon constatou ainda itens sem qualquer informação de origem, composição ou validade, embalagens avariadas, corrompidas ou violadas ou armazenadas de forma inadequada, como coxa de frango, queijo minas, bacon, e 21 quilos de peixes.

Todos os produtos impróprios para consumo foram descartados na presença da equipe do Procon e de funcionários do supermercado.

Orientação do órgão é que todo consumidor que encontrar irregularidades ou se sentir lesado, registre reclamação através do telefone 151, pelo site do Procon ou pelo WhatsApp disponível para este fim, no número (67) 99158-0088.

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".