Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

TECNOLOGIA

Smartphones ajudarão agentes de
saúde no combate ao Aedes aegypti

A ação faz parte de um projeto implantado no município

8 SET 2017Por MARIANE CHIANEZI, COM ASSESSORIA19h:16

Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul entrou 16 smartphones à Prefeitura de Bonito para integrar trabalhos de combate ao mosquito Aedes aegypti. Aparelhos ajudarão a levantar informações sobre os focos e criadouros do mosquitos no local monitorado.

A ação faz parte de um projeto implantado no município em janeiro do ano passado, que utiliza sistema de informação contra a disseminação no mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. O sistema Endemias, que é um aplicativo desenvolvido pela SES/MS, vem instalado nos smartphones dos agentes que fornecerão os dados de cada imóvel visitado na região e a existência de criadouros.

Desde 2015, a Secretaria Estadual de Saúde distribuiu aos municípios integrantes do programa tablets contendo o programa chamado Endemias 1.0, primeira versão do aplicativo. A partir de então, foram realizadas atualizações com base na realidade dos municípios e nas dificuldades encontradas pelos agentes, que são os responsáveis pela operação do equipamento.

Na versão 2.0 a funcionalidade apresentou funções como: Monitorar em tempo real o trabalho de campo dos Agentes Comunitários de Endemias; Monitorar imóveis com foco do mosquito através de um mapa que mostra a localização dos mesmos; Registrar com fotos os pontos críticos e depósitos de água não eliminados, para que ações imediatas sejam tomadas; Acompanhar o índice de infestação predial, que determina as áreas críticas de proliferação do mosquito.

Além disso, aplicativo mapeia os imóveis com moradores que apresentam sintomas de Dengue, Zika ou Chikungunya e outras várias opções de ícones de funções que o Programa oferece.

Com a operação no município de Bonito, Governo busca ampliar as atualizações para todos os 79 municípios de Mato Grosso do Sul.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também