Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ALERTA

Sete bairros da Capital enfrentam alta infestação de dengue, diz Saúde

Secretaria vai realizar operação de combate ao mosquito a partir de amanhã
14/01/2020 17:42 - ADRIEL MATTOS


 

Sete bairros de Campo Grande estão com alto índice de infestação de dengue. Conforme o Levantamento de Índice Rápido de Infestação (LiRaa) desta semana, divulgado nesta terça-feira (14), apenas quatro regiões da cidade não notificaram casos da doença.

O índice mais alto foi registrado na área de abrangência da Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) Iracy Coelho,  com 8,6% de infestação. Isso significa que de 233 imóveis vistoriados, em 20 foram encontrados focos do mosquito Aedes aegypti, que também transmite a febre chikungunya e o zika vírus. Em seguida, aparecem os bairros Jardim Azaleia (7,4%), Jardim Antártica (5,2%), Alves Pereira (4,8%), Sírio Libanês (4,4%), Jardim Noroeste (4,2%) e Maria Aparecida Pedrossian (4%).

Apenas a Vila Nasser, Santa Emília, Bonança e a região do Tiradentes e o conjunto de condomínios Damha tiveram índice zero de infestação. As demais regiões de Campo Grande estão em alerta.

OPERAÇÃO

A partir desta quarta-feira (15), a Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais (CCEV) da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) realiza uma operação de combate ao mosquito. Pelo menos 19 mil imóveis serão vistoriados por 280 agentes.

As equipes irão atuar de forma simultânea em treze bairros fazendo a inspeção de imóveis, terrenos baldios e identificação e eliminação de focos, além de recolhimento de materiais inservíveis  potenciais criadouros do mosquito e orientação dos moradores.

Felpuda


Alguns políticos estão se aproveitando deste momento preocupante de pandemia para sugerir projetos oportunistas que, em alguns casos, são de resultados extremamente duvidosos. O mais interessante – para não dizer outra coisa – é que se for analisado o desempenho normal dessas figuras, verifica-se que essa preocupação toda nunca esteve no topo das suas prioridades. Ano eleitoral é assim mesmo. Lamentável!