CAPITAL

Rua 14 de Julho será fechada para carros para atividades de lazer

Prefeitura já havia testado modelo em dezembro, às vésperas do Natal
20/01/2020 15:29 - ADRIEL MATTOS


 

O prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD), sancionou lei que cria o projeto “Família na 14 de Julho”. O texto foi publicado na edição desta segunda-feira (20) do Diário Oficial do município (Diogrande).

Conforme a nova legislação, a Rua 14 de Julho poderá ser fechada para o trânsito de veículos para a realização de atividades culturais, esportivas, educativas e recreativas. Caberá à prefeitura definir quando e as atrações do projeto, que tem três meses para regulamentar o texto.

JUSTIFICATIVA

De autoria do vereador William Maksoud (PMN), o projeto de lei foi aprovado pela Câmara Municipal na última sessão de 2019, no dia 19 de dezembro. Em sua justificativa, o parlamentar apontou a necessidade de realizar atividades culturais e esportivas após a revitalização da Rua 14 de Julho.

“Com este novo conceito de urbanismo eis que faz-se necessário um modelo social readaptado de lazer em nosso cidade. Para tanto, é válido implantar um Projeto que venha atender aos anseios da população em usufruir deste ambiente revitalizado”, argumentou.

A iniciativa foi tema de audiência pública realizada em dezembro. A coordenadora de Central de Projetos da prefeitura, Catiana Sabadin, declarou na ocasião ser favorável à medida. “As pessoas vem aderindo muito a nova 14 de Julho e queremos integrar principalmente as novas gerações para esse novo espaço de lazer e cultura”, afirmou. 

“PRÉ-PROJETO”

Também no mês de dezembro a prefeitura fechou a Rua 14 de Julho aos domingos. Nos dias 8, 15 e 22 de dezembro, a via foi toda dos pedestres, que puderam aproveitar o período de compras de Natal, além de prestigiarem atrações culturais. 

Naquela época, já havia a ideia de que uma das ruas mais movimentadas da Capital fosse fechada aos domingos e feriados para que famílias possam usar o local para lazer, como ocorre na Avenida Paulista, em São Paulo, por exemplo.

REVITALIZAÇÃO

A revitalização da principal via comercial da Capital durou 17 meses entre dúvidas, reclamações, caos até alcançar uma sensação de otimismo e esperança. A obra foi inaugurada em 29 de novembro, antes do prazo previsto. “Entregamos essa obra sem nenhum escândalo e sem intervenção dos órgãos de controle. É uma obra com paisagismo, com área de descanso, com iluminação em LED e recapeamento”, disse o prefeito Marcos Trad (PSD) em discurso na cerimônia.

Ao custo de R$ 60 milhões, a rua foi completamente transformada, perdendo emaranhado de 11 quilômetros de fios e 139 postes deu lugar uma complexa e moderna rede subterrânea, e deixou a paisagem mais limpa, realçando as calçadas - que estão maiores - e as flores e árvores que até então não existiam.

Primeira etapa do programa Reviva Campo Grande, a revitalização da rua 14 de Julho deixa a estrutura pronta para as etapas que virão. O projeto de revitalização teve como modelo intervenções similares, também financiadas pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em outros países, e baseia-se em três eixos centrais: o embutimento da rede, priorização ao pedestre e projetos de habitação para reocupar a região. Destes, somente o último ainda não teve início.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".