Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

escoamento celulose

Reunião com ministro tenta
viabilizar obras nas BRs 262 e 158

Empresas também preparam solicitação para contorno em Três Lagoas

11 SET 17 - 21h:00RODOLFO CÉSAR

O fluxo de caminhões nas BRs 262 e 158 foi o principal argumento apresentado pelo governo do Estado ao ministro dos Transportes, Mauricio Quintella Lessa, para que haja a criação da terceira faixa nessas vias.

Representantes da Fibria, fábrica de celulose instalada em Três Lagoas, e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) foram a Brasília hoje para se reunirem com o ministro.

Estatística apresentada indicou que são 10 caminhões por hora transportando materiais tanto para a Fibria como para a Eldorado Celulose na BR-262.

“O ministro nos disse que vai assinar o contrato da restauração, faltando apenas  ocorrer o descontingenciamento pelo  Palácio do Planalto. Ele (ministro) prometeu que vai assinar logo para fazer a restauração da BR-262, e tem estudo para fazer a 3ª  faixa entre Três Lagoas e Água Clara", explicou Reinaldo Azambuja.

Uma outra obra está na fila para ser apresentada ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), que é a construção de um contorno rodoviário em Três Lagoas para dar acesso às empresas de celulose. Esse empreendimento tem custo estimado em R$ 60 milhões, com extensão de 26 quilômetros.

As duas fábricas contrataram estudo sobre a viabilidade do contorno, que logo que estiver pronto será entregue ao governo federal.

O governador disse também que reforçou ao ministro a necessidade de investimento na malha ferroviária Oeste. “A Rumo está discutindo a ampliação da concessão, mas essa concessão tem de ocorrer com escopo de investimento de recuperação da malha Santos, Três Lagoas, Corumbá”, opinou.. O secretário de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, também participou da reunião com o ministro.

Quem representou a Fibria no encontro foi o gerente-geral de Operações Florestais, Aires Galhardo. “Hoje, infelizmente, a BR-262 não tem faixas adicionais, o tráfego de caminhões acaba limitando a velocidade, não tem pontos para ultrapassagens. Trechos com 3ª faixa viabilizariam as ultrapassagens com segurança e aumentariam a velocidade da rodovia. Principalmente no trecho entre Águas Claras e Três Lagoas”, comentou.

O Dnit já abriu licitação para restaurar 189 quilômetros da BR-262, em trecho entre Campo Grande e Três Lagoas. Há mais de cinco anos a via está em péssimas condições, chegando inclusive a ficar sem acostamento em alguns locais. Além disso, já passou por tentativas fracassadas para viabilizar melhorias.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Júri condena dois acusados de atacar judeus em 2005 em Porto Alegre
BRASIL

Júri condena dois acusados de atacar judeus em 2005 em Porto Alegre

BRASIL

Brumadinho: sobe para 212 o número de mortos identificados em tragédia

BRASIL

Caminhoneiros se mobilizam para nova paralisação, mostra monitoramento

BRASIL

Líder rural é assassinada a facadas em assentamento no Pará

Mais Lidas