AUTUADO PELO PROCON

Restaurante cobra a mais quando cliente pede repetição em rodízio

Procon autuou o restaurante de sushi por cobrança excessiva na Capital
24/05/2019 08:43 - GLAUCEA VACCARI


 

Um restaurante especializado na venda de sushi foi autuado pela Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon) por oferecer a opção rodízio, mas cobrar a mais todas as vendas que os clientes solicitam repetição, em Campo Grande.

Fiscais foram até o estabelecimento, localizado na avenida Ceará, para verificar denúncias recebidas de diversos consumidores relatando cobrança excessiva.

No local, foi constatado que na modalidade de rodízio, é servido o combo pelo preço anunciado, mas quando o cliente solicita repetição, que por ser rodízio ele tem direito, sempre há acréscimo no valor, mesmo que em centavos, configurando prejuízo aos frequentadores.

Além disso, também há ausência de informação de que a taxa de serviço é opcional. No cardápio não consta a informação e os garçons não fazem esta observaçao para a clientela, que acaba arcando com a despesa como se fosse obrigatória. 

Outra irregularidade encontrada é na o fato do acréscimo de R$ 10 na conta quando o cliente escolhe pagar com cartões. Segundo o Procon, neste caso os clientes são devidamente avisados sobre a taxa extra para esta modalidade de pagamento, o que a torna regular por ter concordência do consumidor, no entanto, ela ainda é considerada abusiva.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".