Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

REVIVA CAMPO GRANDE

Requalificação da 14 de Julho<br> já tem 85% das obras concluídas

Previsão de entrega é até novembro deste ano, garante a prefeitura
20/08/2019 10:07 - BRUNA AQUINO


 

As obras de requalificação da Rua 14 de Julho já estão bem avançadas e ao que parece o prazo máximo previsto para março do ano que vem pode ser adiantado para novembro deste ano, como prometeu a Prefeitura de Campo Grande e a empresa executora Engepar, responsável pela obra. Quem passa pelo centro da Capital, já pode ver a evolução da obra total que que resta apenas 15%. 

Conforme relatório da Engepar, as obras de drenagem pluvial, esgotamento sanitário, sistema de abastecimento de água e vistoria técnica já estão 100% concluídas. 

Pouco falta apenas os setores de pavimentação da pista de rolamento e pavimentação das calçadas 75%, rede elétrica, telecomunicação 95%, rede de iluminação pública e infraestrutura para Agetran, segurança e TI com quase 90%. 

Os trabalhos que ainda estão no início da execução são apenas o setor de mobiliário urbano 58% e sinalização viária 10%. 

A Rua 14 de Julho passa por obras em uma extensão de 1.400 metros, da Avenida Fernando Corrêa da Costa até a Avenida Mato Grosso. A conclusão dos espaços se dará com a retirada dos postes e a implantação do paisagismo, previstos para esse mês.

A requalificação já teve instalação de luminárias com LED, wi-fi, câmeras de segurança e preservação do patrimônio histórico cultural.   

 

*Colaborou Eduardo Penedo

 

 

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?