CIDADES

Relógio de ponto nos postos <br>de saúde vai afugentar médicos

Sesau prevê que controle de frequência reduzirá número de profissionais nas unidades
28/08/2017 04:00 - Redação


 

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) de Campo Grande prevê redução de 40% a 50% em seu quadro de servidores, principalmente médicos, quando os relógios de ponto forem instalados nas unidades de saúde. Isso porque profissionais do setor, como médicos, enfermeiros, técnicos e outros que trabalham em regime de plantão, ficarão descontentes com o controle de frequência, que impede liberdade de horário.

O secretário municipal de Saúde, Marcelo Vilela, informou que, “quando colocar o ponto, vai ter uma debandada de servidores e isso aí é normal, não só entre médicos”. Para ele, isso é algo que “naturalmente vai acontecer” e “em 40% ou 50% dos servidores isso deve refletir”, disse. 

“O próprio ministro da Saúde falou sobre isso recentemente”, referindo-se ao que disse Ricardo Barros no 13 de julho, ao defender o controle de frequência. “Vamos parar de fingir que a gente paga médicos e o médico fingir que trabalha. Isso não está ajudando a saúde do Brasil”, opinou, na data. Segundo Vilela, o ministério defende o controle de ponto e já está trabalhando para implantar o sistema em todo o Brasil.

*Reportagem completa de Lúcia Morel está na edição de hoje do Jornal Correio do Estado

 

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".