Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

MEIO AMBIENTE

Queima controlada é proibida em MS até 30 de setembro

Resolução proibe prática, que é prejudicial para a vida das pessoas

18 AGO 15 - 16h:36GABRIEL MAYMONE

Comum nesta época do ano, a queima controlada é proibida em Mato Grosso do Sul até o dia 30 de setembro, conforme resolução da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade), e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Nas áreas do Pantanal, o período de proibição fica estendido até 31 de outubro.

De acordo com a resolução, estão livres da proibição a queima de canaviais, como método despalhador e facilitador do corte de cana-de-açúcar em unidade agroindustrial; em caráter excepcional, a queima de palhada resultante da colheita mecanizada de sementes; a queima controlada utilizada nos cursos de capacitação promovidos pelas entidades membros do Comitê Interinstitucional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais em Mato Grosso do Sul.

O descumprimento está sujeito a penalidades que variam de multas a suspensão da atividade do responsável pela área.  

 

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

De volta, frente fria chega nesta segunda-feira em MS
PREPARA O GUARDA-CHUVA

De volta, frente fria chega nesta segunda-feira em MS

Empresas não terão de pagar multa de 10% do FGTS a partir de 2020
FGTS

Empresas não terão de pagar multa de 10% do FGTS a partir de 2020

Governo torna sem efeito promulgação da Reforma da Previdência Estadual
ERRO

Governo torna sem efeito promulgação da Reforma da Previdência Estadual

"Profundo desrespeito às religiões cristãs", diz OAB sobre especial de Natal da Netflix
PORTA DOS FUNDOS

"Desrespeito às religiões cristãs", diz OAB sobre especial de Natal da Netflix

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião