Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Quatro estabelecimentos são interditados por festas e aglomeração

Restaurante, conveniência, quadra de futebol e casa de festas foram fechadas pela Vigilância Sanitária
29/06/2020 19:00 - Glaucea Vaccari


 

Vigilância Sanitária interditou quatro estabelecimentos em Campo Grande, neste fim de semana, por descumprimento a diversos decretos de enfrentamento à pandemia do coronavírus, como aglomeração de pessoas, atendimento além da capacidade permitida e desrespeito a normas de biossegurança.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), foram interditados um restaurante e choperia no Bairro Pioneira, uma conveniência no Tijuca, uma quadra de futebol no Taveirópolis e um espaço de festas no Coronel Antonino. 

Foi infringida a Lei Complementar r nº148 de 2009 - o Código Sanitário Municipal, além de decretos publicados com medidas para prevenção do coronavírus.

Segundo a Sesau, estabelecimentos ofereceram riscos a saúde pública coletiva ao permitirem o acesso do público ao local, além da sua capacidade normal, desrespeitando o distanciamento social de pessoas com o mínimo de 1,5 metro de distância e limite de uma pessoa a cada 10 metros quadrados. 

Também não foi realizado o controle de fluxo de pessoas em diferentes pontos dentro dos locais, para evitar aglomerações em ponto com maior concentração de clientes, desrespeitando o regramento.

Nos casos de interdição, proprietários são autuados e tem 15 dias para apresentar a defesa, Eles também respondem processo administrativo sanitário, que tem penas que vão de advertência, interdição, cancelamento de licença ou multa no valor de R$ 100 a R$ 15 mil

 

Felpuda


Figurinha começou a respirar aliviada, embora ainda esteja na corda bamba. Isso porque mudou de mãos o processo cuja sentença poderá mandá-la para casa definitivamente. Assim, pela “jurisprudência” com a qual o “analista” é conhecido, pode ser que o resultado seja bastante favorável, permitindo que a então desesperada pessoa continue com o assento em Brasília. Vamos ver!